Porneia

Porneia é uma forma de protistuição, cujo termo que aparece 32 vezes no Novo Testamento e cerca de 50 vezes na Septuaginta (LXX) e sem um correspondente exato no português.

O termo “fornicação” em algumas versões nas línguas latinas não traduz compreensivamente o alcance semântico de porneia. Nas línguas neolatinas o sentido de fornicação vai desde referências muito amplas de coito ou cópula (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa) até ter referências restritas a relações sexuais ou cópula carnal fora do casamento (Diccionario RAE).[2] Incidentalmente, o termo fornicatio no latim do século I é mais próximo ao conceito grego de porneia que o atual prostituição ou fornicação.

No grego, porneia somente aparece em quatro textos anteriores à LXX e ao cristianismo. Deriva-se de pernemi, ato de venda de escravos e, por extensão de partes do corpo ou de prostitutas.

O termo porne para referir-se a prostituta aparece desde o século VII a.C., em sentido mais detrimental que as hetaira, as cortesãs livres. A porneia seria usufruir o acesso involuntário ao corpo da pessoa escravizada. Uma interpretação expansiva infere que prostituta escravizada estaria sujeita às práticas sexuais não aceitas pelas prostitutas livres ou pelas esposas; consequentemente, porneia podeia incluir parafilias ou outras práticas sexuais anormais. O grego pornes huios tem a mesma conotação ofensiva do palavrão em português: filho da puta. Alguns comentarista interpretam o termo porneia nessa passagem como referindo-se a incesto. Há comentaristas que prefere não traduzir o termo


Gaca, Kathy L. The Making of Fornication: Eros, Ethics, and Political Reform in Greek Philosophy and Early Christianity. Berkeley: University of California Press, 2003.

Harper, Kyle. “Porneia: The Making of a Christian Sexual Norm.” Journal of Biblical Literature 131, no. 2 (2012): 363-83.

Malina, Bruce. “Does porneia mean fornication?.” Novum Testamentum 14.1 (1972): 10-17.

Osiek, Carolyn “Female Slaves, Porneia, and the Limits of Obedience,” in Early Christian Families in Context: An Interdisciplinary Dialogue (ed. David L. Balch and Carolyn Osiek; Religion, Marriage and Family; Grand Rapids: Eerdmans, 2003), 255–74

Skinner, Marilyn B. Sexuality in Greek and Roman Culture. Ancient Cultures. Malden, Mass: Blackwell, 2005.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: