Papiro Harris I

Papyrus Harris I ou Papyrus British Museum EA 9999 com uma lista de bens do templo e uma breve crônica de todo o reinado do faraó Ramsés III (1186–1155 a.C.) da 20a dinastia do Egito.

Para a papirologia é revelante por suas dimensões. É um rolo de 41 metros de comprimento, sendo um dos maiores papiros encontrados, com cerca de 1.500 linhas de texto, aproximadamente, o tamanho dos livros de Gênesis ou Jeremias.

Foi encontrado em uma tumba perto de Medinet Habu, próximo do rio Nilo de Luxor, Egito, e comprado pelo colecionador Anthony Charles Harris (1790-1869) em 1855.

Este papiro, junto da Estela Elefantina, fornece um paralelo bíblico sobre a saída de povos asiáticos do Egito. Um líder dos asiáticos (shashu), Irsu assumiu o poder após a morte da Rainha Twosret. Durante seu governo, desprezou os rituais egípcios. O novo Faraó Setnakhte expulsou-os e, enquanto fugiam, abandonaram grandes quantidades de ouro e prata que haviam roubado dos templos. Uma versão semelhante aparece na Aegyptiaca de Maneto, na qual o líder Osarseph deu um golpe em um faraó liderando um grupo de leprosos e em aliança com os hicsos, antes de ser expulso do Egito e mudar seu nome em Moisés.