Philip Mauro

Philip Mauro (1859-1952) advogado, teólogo leigo e escritor americano, pertencente ao Movimento dos Irmãos.

Mauro teve sucesso profissional como advogado de patentes em casos na Suprema Corte dos Estados Unidos. Nessa função, enfrentou Thomas Edison várias vezes, quem ganhou seu respeito. Participou do julgamento de Scopes, preparando os argumentos de William Jennings Bryan. Publicou vários panfletos e livros, nos quais expunha principalmente uma teologia dispensacionalista.

Mauro teria passado por uma experiência de conversão no Gospel Tabernacle de A. B. Simpson em .1903

Em 1908 passou a morar sanzonalmente na Itália. (Apesar do nome, não possuía raízes italianas). Em um culto em Rapallo começou a pregar em italiano sem ter domínio da língua e a partir disso passou a se comunicar nesse idioma.

Apesar dessa experiência, em 1911 Mauro publicou três artigos no periódico Our Hope (com sede em Nova Yorque) contra a manifestação dos dons de línguas como vinha ocorrendo entre os pentecostais. Embora fosse continuísta, passou a rejeitar o dispensacionalismo comum nos movimentos pentecostal e dos Irmãos. Além disso, considerava as manifestações pessoais de falar em línguas primordialmente como um sinal para os não crentes, enaquanto sua incidência entre os pentecostais como pueris e imaturas.

Mauro estava no RMS Carpathia, coincidentemente no qual também estavam como passageiros Louis Francescon, Louis Terragnoli e Giacomo Lombardi, quando este navio socorreu os náufragos do Titanic em 1912.

OBRAS

  • God’s Pilgrims
  • Life in the Word
  • The Church
  • The Churches and the Kingdom
  • The Hope of Israel
  • Ruth, The Satisfied Stranger
  • The Wonders of Bible Chronology
  • The World and its God
  • The Last Call to the Godly Remnant
  • More Than a Prophet
  • Dispensationalism Justifies the Crucifixion
  • Evolution at the Bar
  • Of Things Which Soon Must Come to Pass
  • The Seventy Weeks: And the Great Tribulation
  • The Gospel of The Kingdom