Fórmula batismal

A fórmula batismal refere-se às palavras empregadas e a autoridade invocada no ato do batismo cristão.

Nos judaísmos do Segundo Templo e Antiguidade Tardia o batismo também era empregado como rito iniciático dos prosélitos convertidos. Porém, era algo impensável invocar a autoridade de alguém (um rabino ou um sacerdote) para tal ato, sendo ministrado somente sob a autoridade (em nome de) divina.

Na língua original do Novo Testamento, o grego, o uso da autoridade – o nome – possui nuances definidas principalmente pela regência das preposições que se perdem na tradução ao português. Por essa razão, há variações de sentidos da frase “em nome de” conforme diferentes contextos do Novo Testamento:

Mateus 28:19 eis to onoma: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Também em Atos 8:16; 19:5.

Esta construção gramatical (eis + acusativo) frequentemente indica uma transição, ou seja, um movimento para dentro, uma indicação de propósito, uma inserção dentro de um domínio.

Atos 2:38 epi to onomati: “E [disse]-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”.

Esta construção gramatical (epi + dativo) apresenta algumas dificuldades de compreensão. Normalmente é entendida como um ato baseado sobre autoridade de outrem; ato acerca de algo já revelado; ou invocação, chamar pelo nome. (At 22:16; Rm 10:9, 13). Foi “acerca desse nome” que os primeiros discípulos proclamaram o evangelho com audácia (At 4:17-18; 5:28, 40).

Atos 10:48 en to onomati: “Então ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Depois pediram a Pedro que ficasse com eles alguns dias”.


A História do Cristianismo atesta que fluidez no uso das fórmulas batismais na Igreja primitiva e durante o primeiro milênio.

Tanto o batismo “em nome de Jesus” de Atos 2 aparentemente era o mais amplamente praticado, embora a fórmula batismal encontrada em Mateus 28 é confirmada pela Didachê.

Uma fórmula credal interrogativa para o batismo foi usada nos primeiros séculos, seguida de uma imersão após cada questão. Entre cristãos do oriente, uma forma passiva “seja batizado” ou “és batizado” era preferida. No ocidente a fórmula com o celebrante na voz ativa passou a ser comum.

Whitaker (1965) argumenta que essas variantes fundiram-se em duas vertentes. Uma ocidental e credal e outra “síria” na voz ativa e baseada em Mt 28. Com o tempo, a versão síria popularizou-se, embora o uso da fórmula de At 2 continuasse a ser praticada.

Tomás de Aquino ensinou que palavras da fórmula batismal poderiam variar, mas não alteravam os efeitos materiais do batismo.

Como meio de evitar controvérsias e para uma conformidade bíblica, fórmulas combinadas de Atos 2 e Mateus 28 aparecem entre os morávios, luteranos e igrejas livres escandinavas, entre movimento dos irmãos, alguns do movimento de santidade, sendo adotada por Charles Parham e pela Congregação Cristã no Brasil.

Entre 1913-1916 surgiu uma controvérsia sobre a fórmula batismal entre os pentecostais. Um grupo argumentava que somente em nome de Jesus (At 2) seria válido. A partir daí nasceu o pentecostalismo unicista.

BIBLIOGRAFIA

Bell, E.N.“The ‘Acts’ on Baptism in Christ’s Name Only,” Weekly Evangel (June 12, 1915).

Ironside, Harry. Baptism: What Saith the Scripture?. Fruitvale, CA. 1915.

Hellholm, David, Christer Hellholm, Øyvind Norderval, and Tor Vegge. Ablution, Initiation, and Baptism. 1. Aufl. ed. Vol. 176. Beihefte Zur Zeitschrift Fur Die Neutestamentliche Wissenschaft. Berlin/Boston: Walter De Gruyter GmbHKG, 2011.

Heitmüller, Wilhelm. Im Namen Jesu: eine sprach-u. religionsgeschichtliche Untersuchung zum Neuen Testament, speziell zur altchristlichen Taufe. Vol. 1. Vandenhoeck & Ruprecht, 1903.

Whitaker, Edward C. “The History of the Baptismal Formula.” The Journal of Ecclesiastical History 16.1 (1965): 1-12.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: