David Bentley Hart

David Bentley Hart (nascido em 1965) é um polímata, escritor, filósofo e teólogo ortodoxo americano.

Nascido em uma família anglicana, seus irmãos Addison Hodges Hart e Robert Hart também são teólogos e autores.

Hart investiga metafísica cristã, filosofia da mente, clássicos, teologia sistemática, línguas asiáticas e literatura.

Um autor prolífico, Hart discute sobre arte, beisebol, literatura, consciência, problema do mal, apocatástase, teose, cinema e política. Como biblista, fez uma tradução do Novo Testamento publicada pela Yale em 2017. Produz várias críticas ao neoateísmo, materialismo, integralismo, neotomismo e calvinismo.

J. Kwabena Asamoah-Gyadu

Johnson Kwabena Asamoah-Gyadu é um teólogo metodista ganense e pesquisador acerca do pentecostalismo, mídias digitais, cristianismo africano e acerca da religião em esferas virtuais. Estudou em Gana e na Universidade de Birmingham. Leciona e lidera o Trinity Theological Seminary em Legon.

Kathryn Tanner

Kathryn Tanner (nascida em 1957) é uma teóloga episcopal (anglicana) americana.

Educada na Yale University, onde também fez a maior parte de sua carreira, Tanner combina a história do pensamento cristão e métodos interdisciplinares, como teorias críticas, sociais e feministas.

Ela propõe uma relação não competitiva entre Deus e as criaturas, tendo Cristo como centro de ligação da humanidade com Deus.

John Milbank

Alasdair John Milbank (nascido em 1952) é um teólogo anglicano inglês, proponente da ortodoxia radical.

É professor emérito do Departamento de Teologia e Estudos Religiosos da Universidade de Nottingham. Lecionou na Universidade da Virgínia, Universidade de Cambridge e na Universidade de Lancaster.

Milbank discute teologia sistemática, teoria social, filosofia e teologia política. Apesar de socialista, critica as teorias sociais contemporâneas, pois partem de um pressuposto de conflito, enquanto a teologia cristã prima pela paz. Sua posição contra as teorias sociais o fazem um crítico da teologia da libertação e de movimentos teológicos e hermenêuticos minoritários.

Don Cupitt

Don Cupitt (nascido em 1934) é um filósofo da religião inglês. Foi ministro ordenado anglicano e professor na Universidade de Cambridge.

Defende uma filosofia da religião não realista. Debate as reivindicações sobrenaturais do cristianismo. Entrentanto, rejeita as doutrinas e a metafísica do cristianismo histórico em favor da consciência religiosa que caracteriza a identidade humana. Influenciado pela noção budista do Nada, desconsidera o teísmo objetivo. Tais posições levaram-lhe ser taxado como o “pároco ateísta”.

BIBLIOGRAFIA

Alves, Leonardo Marcondes. “O Deus pós-moderno“. Ensaios e Notas, 2010. https://ensaiosenotas.com/2010/12/03/o-deus-pos-moderno/

Cupitt, Don. The Sea of ​​Faith. Cambridge University Press, 1988.

Cupitt, Don. After God: The Future of Religion. Basic Books, 1997.

Cupitt, Don.  Is Nothing Sacred?: The Non-Realist Philosophy of Religion: selected essays. Fordham University Press, 2002.  http://www.jstor.org/stable/j.ctt1g2kn3r.

Sarah Coakley

Sarah Coakley (nascida em 1951) é uma pastora anglicana, teóloga e filósofa da religião inglesa. 

Teve passagem por renomadas faculdades de teologia em Cambridge, Harvard, Princeton, dentre outras. Foi professora honorária no Logos Institute, da Universidade de St Andrews, depois de deixar o cargo de Professora Norris-Hulse de Divindade na Universidade de Cambridge. Teve cargo de professora visitante na Australian Catholic University.

 Em seu pensamento combina teologia analítica com anglo-catolicismo, feminismo cristão, tendo como interlocutores Gregório de Nissa, J. A. T. Robinson e Ernst Troeltsch. Discute temas interdisciplinares como direito, medicina e religião.

BIBIOGRAFIA

Coakley, Sarah, ed. Religion and the Body. Vol. 8. Cambridge University Press, 2000.

Coakley, Sarah. God, sexuality, and the self. Cambridge University Press, 2013.

Coakley, Sarah. Powers and submissions: Spirituality, philosophy and gender. John Wiley & Sons, 2008.

Gavrilyuk, Paul L., and Sarah Coakley, eds. The Spiritual Senses: Perceiving God in Western Christianity. Cambridge University Press, 2011.

Johann Konrad Dippel

Johann Konrad Dippel (1673-1734) foi um teólogo , alquimista e médico alemão. Pessoa polêmica, teve momentos de forte adesão ao pietismo como também surtos de anti-pietismo.

Educado na Universidade de Giessen, em Hesse, foi conselheiro de monarcas com Frederico I da Prússia, Carlos XII da Suécia, além de ter sido perseguido e preso na Dinamarca e em várias regiões da Alemanha. Morou na Holanda onde formou-se médico em Leiden.

Em 1697, aderiu ao pietismo radico por influência dos escritos de Jakob Böhme e de Gottfried Arnold. Levou às últimas consequências as doutrinas pietistas da regeneração que resultava em transformação substancial do indivíduo. Criticou a teoria da satisfação de Anselmo, sobretudo acerca do sofrimento vicário de Cristo, oferecendo uma perspectiva objetiva da obra de redenção. Influenciou a teologia de Zinzendorf e, consequentemente, dos Irmãos Morávios e indiretamente do metodismo.

A redenção ocorre por meio de Cristo sem meios externos, quer sacramental, quer ato de fé. A ira de Deus não pode ser imaginada em termos antropomorfos, mas pautada no amor de Deus. Assim, uma obra de satisfação vicária não fazia sentido. Cristo por sua encarnação compartilhou natureza humana enfraquecida do homem pecaminoso, mas pelo portão estreito da abnegação para a glória. O sofrimento de Cristo não foi em nosso lugar, mas por nós, dando o exemplo de sua vida santa. 

A Palavra de Deus é a comunicação imediata da boca de Deus, presente no coração de todos os homens. Defensor da doutrina da “Luz Interior”, argumentava que a Palavra atuava em cada pessoa mesmo sem as Escrituras, pois em toda pessoa há uma semente divina. Após a Queda, porém a semente da serpente obliterou totalmente a Palavra de Deus implantada em nós até que Cristo, a Palavra de Deus, curou o ser humano para usufruir da semente de Deus. No entanto, a graça não se recebe por meios externos. A vontade de Deus falar diretamente ao coração é por inspiração e iniciativa divina. Cristo é quem começa o seu processo salvítico separadamente em cada um.

Nova Perspectiva sobre Paulo

A Nova Perspectiva sobre Paulo ou Nova Perspectiva de Paulo é um conjunto de interpretações dos escritos paulinos à luz de diversas informações sobre o contexto histórico do período do Segundo Templo e bases linguísticas do grego bíblico.

Esta vertente argumenta que teólogos e biblistas contemporâneos foram enviesados pelas perspectivas e preconceitos dos reformadores magistrais acerca de Paulo e o judaísmo do Segundo Templo. O pressuposto era de que o judaísmo era uma religião que buscava justiça pelas obras, sem base na eleição do povo em aliança por Deus, mas com base em mérito e obras para ganhar o favor de Deus. Contudo, estudos históricos demonstraram que os judaísmos do Segundo Templo eram mais nuanceados e o conceito de graça também estava presente.

Embora não seja uma corrente unificada, desde os anos 1970 seus expoentes foram Krister Stendahl, E. P. Sanders, James D. G. Dunn, N. T. Wright e Paula Fredriksen. Em comum, esses autores argumentam que conceitos do protestantismo magistral das doutrinas acerca de obras e graça, fé em Cristo e expiação teriam de ser revistos. (Os anabatistas por terem sidos inspirados pela exegese de Erasmo, Zwinglio e Karlstadt desenvolveram tradições teológicas distintas acerca desses tópicos).

BIBLIOGRAFIA

Dunn, James D.G. The New Perspective on Paul: Collected Essays. Tübingen: Mohr Siebeck, 2005.

Pietersen, Lloyd. “Paul, Nachfolge Christi and Gelassenheit: Reading Paul with the Radical Reformers.” Anabaptism Today 4.1 (2022).

Daniel Pecota

Daniel Bruce Pecota (1928-1997) foi um teólogo e exegeta americano filiado às Assemblies of God.

Nascido em Passaic, New Jersey, em uma família bielorrussa-americana, casou-se com Esther Hartsch em 1951. Formou-se como Bacharel em
Artes no Southern California College, Mestre de Divindades e Teologia pelo Fuller Theological Seminary e Doutorado em Ministérios da Philips University.

Foi autor de materiais educativos. Lecionou principalmente Novo Testamento no Northwest College, Kirkland, estado de Washington, de 1958 até sua morte. Foi membro da Sociedade de Literatura Bíblica e da Sociedade de Estudos Pentecostais.

Seus interesses de pesquisa centravam-se na soteriologia. É autor de um capítulo sobre o tema na obra coletiva Teologia sistemática de Stanley Horton.

BIBLIOGRAFIA

Horton, Stanley, (ed). Teologia sistemática. 1999.

https://archives.northwestu.edu/handle/nu/37121

John Durie

John Durie (1596-1680) foi um pastor, diplomata, pioneiro no ecumenismo e escritor puritano.

Nascido em uma família presbiteriana em Edimburgo, foi ministro para congregações migrantes de língua inglesa na Alemanha.

Vendo o mal do faccionalismo político e religioso durante a Guerra dos Trinta Anos, viajou pela Europa tentando convencer os governantes e prelados protestantes a buscar a paz e a união. Fundamentava doutrinariamente sua proposta em um mínimo teológico comum que consistia no Credo Apostólico, os Dez Mandamentos e a Oração do Senhor.

No final da vida, expandiu sua proposta de união para incluir os católicos. Foi instrumental em influenciar Cromwell a autorizar a readmissão dos judeus na Inglaterra. Seria um dos pioneiros no movimento ecumênico.

‘O único fruto que colhi com todas as minhas labutas é que vejo a condição miserável do cristianismo e que não tenho outro consolo além do testemunho de minha consciência.’

Participou da Assembleia de Westminister entre 1643 e 1649. Expressava uma teologia irênica. Com suas simpatias pelos judeus, tentou criar um Colégio de Estudos Hebraicos. Foi um prolífico autor de variados panfletos. Colaborou com o polímata Samuel Hartlib, de cujo círculo fazia parte, e com Adam Boreel, um líder collegiante holandês com similares simpatias pela tolerância religiosa.

SAIBA MAIS

Gibson, John Westby. “Durie, John (1596-1680)”. Dictionary of National Biography, 1885-1900, Volume 16.

Van Der Wall, Ernestine GE. “‘Without Partialitie Towards All Men’: John Durie on the Dutch Hebraist Adam Boreel.” Jewish-Christian Relations in the Seventeenth Century. Springer, Dordrecht, 1988. 145-149.

John Dury

Obras de John Dury

Biography of John Dury – Puritan’s Mind

Sermão Israels call to march out of Babylon unto Jerusalem: opened in a sermon before the Honourable House of Commons assembled in Parliament