Pietismo

O pietismo é um movimento leigo de renovação espiritual que existe no seio, principalmente das igrejas luteranas, além de denominações independentes associadas ao movimento.

O pietismo surgiu na Alemanha durante a segunda metade do século XVII . A publicação do livreto Pia Desideria (1675) de Philipp Jacob Spener (1635 – 1705). A Pia Desideria, desejos pios, foi escrita como um prefácio para uma nova edição de um livro de Johann Arndt. Spener capturou os sentimentos dos evangélicos alemães após a Guerra dos Trinta Anos e a predominância do dogmatismo da Escolástica Protestante. Propôs que:

  • A palavra de Deus deveria ser mais amplamente difundida entre o povo, havendo discussões bíblicas sob a orientação do pastor;
  • Estabelecimento e manutenção de ministérios espirituais, que não é exclusividade apenas do clero formal, mas constituídos pelo direito e dever de todos os cristãos de instruir os outros, punir, exortar, edificar e cuidar de sua salvação;
  • Enfatizar o fato de que o mero conhecimento é insuficiente no cristianismo, pois a fé cristã se expressa antes na ação;
  • Mais gentileza e amor nos debates entre as denominações;
  • A formação universitária do clero deve ser alterada para incluir um fomento da piedade pessoal e a leitura de livros de edificação, bem como conhecimentos intelectuais e acerca das controvérsias dogmáticas;
  • Os sermões devem ser preparados para serem mais edificante, com menos ênfase na arte retórica e na erudição homilética.

O pietismo não consitituiu um movimento uniforme e não foi definidio em torno de doutrinas específicas. Entretanto, alguns traços comuns são notórios. No pietismo a ortopraxia (a vida cristã e a ética) são tão importantes quanto a ortodoxia. A ortodoxia não se limita a uma expressão proposicional, mas na religião vivida. O sacerdócio universal dos crentes é o cerne da doutrina da Reforma, colocado em prática nos conventículos (ecclesiola in ecclesia) — pequenos grupos de oração, leitura bíblica e edificação –, nas educação e no cuidado dos necessitados. A expectativa e a preparação para vinda do reino de Deus também orientaram o pietismo.

O pietismo propagou-se a partir da Universidade de Halle, também fornecendo as balizas para o desenvolvmento das ciências naturais e da universidade moderna (humboldtiana). O interesse dos pietistas por publicações populares elevou o letramento público. Os pietistas barão Carl von Canstein e August Hermann Francke organizaram a primeira sociedade bíblica e imprensa bíblica: a Cansteinsche Bibelanstalt. Apesar desse fomento ao cultivo intelectual junto da formação espiritual, detratores associaram o pietismo ao anti-intelectualismo.

Ora perseguido, ora apoiado pelas autoridades seculares e religiosas (luteranas e, em menor grau, reformadas), o pietismo propagou-se entre os países germânicos. Os grupos mais radicais ou perseguidos emigraram para a América do Norte, estabelecendo-se principalmente na Pensilvânia.

Dentre os diversos movimentos pietistas com identidade própria, destacam-se os Irmãos Morávios, os Dunkers, os Labadistas, dentre outros.

3 comentários em “Pietismo”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: