Pier Paolo Vergerio

Pier Paolo Vergerio (1498-1565) foi um reformador italiano.

Nasceu na cidade de Capodistria, atual Eslovênia, na época território da República de Veneza. Estudou Direito em Pádua, onde foi colega Pietro Martire Vermigli, Marco Antonio Flaminio e Pietro Bembo.

Depois de longo exame exegético e teológico, Vergerio aos poucos veio a simpatizar com a reforma. Nomeado bispo de Capodistria. Depois de um encontro com Francesco Spierà, Vergerio assume publicamente suas posições teológicas. Em razão disso, é exilado e vai ao Cantão dos Grisões, região de fala italiana no sul da Suíça.

Vergerio iniciou uma carreira de escritor, editor e polemista até sua morte.

Pietro Martire Vermigli

Pietro Martire Vermigli (1499-1562) foi um reformador italiano, originário de Lucca e depois exilado na Suíça.

Educado com uma formação humanista em Fiesole, Pádua e Bolonha, interessou-se pelo estudos hebraicos. Nomeado abade de San Pietro ad Arame em Nápoles, onde desenvolve um círculo de interessados em discussões bíblicas e religiosas. Na época, a influência de Juan Valdés em Nápoles gerou um círculo discreto de simpatizantes da Reforma.

De retorno à Lucca em 1541, como prior do convento de San Frediano começa a pregar publicamente ideias reformadas. Enfatizava o valor da morte de Cristo e a justificação.

Questionado por sua ordem religiosa, parte para o exílio. Foi ministro dos italianos refugiados em Estrasburgo, depois deu aula em Oxford. Com o restabelecimento do catolicismo na Inglaterra, retornou à Estrasburgo até passar a viver em Zurique.

Vittoria Colonna

Vittoria Colonna (1492 – 1547), marquesa de Pescara, foi uma nobre, poetisa e participante da Reforma na Itália.

Era primogênita de Fabrizio Colonna (1460-1520), Duque de Marsi e Paliano, Marquês de Manopello e Condestável de Nápoles, e de Agnese da
Montefeltro (1470-1506), filha do Duque de Urbino. Vittoria seria a “mulher mais conhecida na Itália nos Quinhentos”.

Depois de enviuvar-se e enfretar um período depressivo, Vittoria estabeleceu-se em Isquia, esteve em alguns conventos pela Itália, começou a interagir com vários líderes religiosos. Entrou em contato com a corrente reformista moderada que incluia o cardeal Gaspare Contarini, Bernardino Ochino, Gian Matteo Giberti, Pietro Bembo e Giovanni Morone, bem como com Juan de Valdès. Mais tarde reuniria em seu círculo outros reformadores, como o cardeal Reginald Pole, Marcantonio Flaminio, Alvise Priuli e Pietro Carnesecchi.

Em 1537 a marquesa instalou-se em Ferrara. Lá contribuiu com Bernardino Ochino a fundar um mosteiro de Clarissas Capuchinhas conforme os ideiais reformadores. Morreu no convento de San Silvestro in Capite e sua morte, pouco antes do início das perseguições contra os reformadores spirituali na Itália.

Poetisa, foi autora de obras devocionais como Rime spirituali, il Trionfo di Cristo e em prosa Pianto sulla Passione di Cristo.

BIBLIOGRAFIA

Brundin, Abigail. Vittoria Colonna and the Spiritual Poetics of the Italian Reformation. Routledge, 2016.

Versão Barberini de Habacuque 3

O Barb. MS Barberinus Gr. 549 Vatican Library. Oxford H-P 62 and 147 ou versão de Barberini é uma versão grega, independente da Septuaginta (Old Greek) da Oração de Habacuque (Habacuque 3), apesar de ter sido influenciada pela LXX em sua transmissão.

A versão de Barberini provavelmente não foi traduzida antes dos livros finais da Septuaginta no século I a.C. Sua data final para limitar sua origem seria os meados do século III d.C.

BIBLIOGRAFIA

Harper, Joshua L. Responding to a puzzled scribe: the Barberini version of Habakkuk 3 analysed in the light of the other Greek versions. Vol. 8. Bloomsbury Publishing, 2015.

Annie Vallotton

Annie Vallotton (1915–2013) foi uma artista plástica e ilustradora franco-suíça. É conhecida por suas ilustrações para a Good News Bible (GNB), correspondente à Nova Tradução em Linguagem de Hoje em português.

Nascida em uma família envolvida no ministério e teologia protestantes por ambos os lados, Vallotton trabalhou na Resistência contra o nazismo e com refugiados na Segunda Guerra.

Cristã devota, começou a fazer ilustrações de passagens bíblicas. O tradutor e editor Eugene Nida conheceu seu trabalho e a comissionou para fazer uma edição infantil das Escrituras.

Vallotton criou mais de 500 ilustrações. Chegava a desenhar algumas ilustrações até 90 vezes para atingir as expressões pretendidas. Com traços simples e minimalistas, Vallotton queria produzir desenhos com os quais qualquer pessoa se identificasse.

O sucesso de seus desenhos e das edições da Bíblia GNB fez de Valloton uma das artistas de maior volume de venda da história.

Life: February 2012

Vale de Sidim

O vale de Sidim,עֵ֖מֶק שִׂדִּים ‘emeq haś-Śiddim, identificado com o “Mar Salgado” em Gênesis 14:3, chamado de “mar da Arabá” em Deuteronômio 3:17, ou m “Mar Morto”. A localização atual é incerta.

É uma localidade mencionada em Gênesis: “E o vale de Sidim estava cheio de poços de betume” (Gênesis 14:3, 8, 10) como cenário da batalha do vale de Sidim, quando Quedorlaomer derrotou os reis de Sodoma e das cidades da planície.

A vida dos profetas

A Vida dos Profetas é um apócrifo do Antigo Testamento, traduzido para o grego, latim, siríaco, armênio e árabe. A versão original, em hebraico, siríaco ou outra língua semítica, provavelmente foi publicada no século I d.C. e contém material parabíblico sobre a morte, frequentemente, por martírio dos profetas.

Trata-se de uma obra de religiosidade popular judaica com sucessivas interpolações cristãs.

Ítala

A Vetus Latina ou Itala são as diferentes traduções surgidas anteriormente da Vulgata de Jerônimo. Os primeiros indícios da Ítala remontam de citações patrísticas do século II. Utilizada popularmente nos cultos, mesmo depois da publicação da Vulgata no século V continuou em uso. Os grandes códices da Vetus Latina foram produzidos até 1250.

Vulgata

A Vulgata é a versão da Bíblia latina, traduzida do hebraico e do grego por Jerônimo, identificada pela sigla Vg.

Em 382, ​​o papa Dâmaso encomendou a Jerônimo que produzisse uma tradução latina aceitável da Bíblia a partir das várias traduções divergentes (a Vetus Latina ou Ítala).

Exímio latinista e estudioso bíblico, Jerônimo contou com a ajuda de mulheres eruditas como Marcela e Paula. Além disso, viajou, discutiu e aprendeu as línguas semíticas enquanto vivia no Levante, onde se estabeleceu em Belém. Sua versão dos Evangelhos foi entregue ao papa em 384. Usando a versão grega da Septuaginta do Antigo Testamento, ele produziu novas traduções latinas dos Salmos (o Saltério Galicano), o Livro de Jó e alguns outros livros. Entretanto, decidiu que a Septuaginta era insatisfatória e começou a traduzir todo o Antigo Testamento de uma versão hebraica hoje perdida. Finalizou a Biblia toda por volta do ano 405.

Escreveria ainda anotações e introduções dos livros da Bíblia, a qual seria uma das primeiras edições a contar com um aparato filológico e exegético.

A vulgata levaria tempo para ter aceitação. O próprio antigo saltério latino revisado por Jerônimo continuou a ter maior aceitação. Na baixa idade média a Vulgata ganharia a preferência dos eruditos e no uso litúrgico ocidental. Seria adotada como a versão oficial para a Igreja Católica a partir do Concílio de Trento.

A vulgata é uma obra singular por vários motivos. Seria a primeira tradução feita praticamente por um único indivíduo, o qual era consciente dos problemas exegéticos e de teoria da tradução. Também seria a versão a reunir todo o cânon que, mais tarde, seria juntado em um só volume de livro.