Sebastian Franck

Sebastian Franck (1499-1543) foi um cronista, teólogo e editor bávaro.

Inicialmente um padre católico tornado pastor luterano, Franck produziu uma obra anti-anabatista. Contudo, eventualmente desenvolveu simpatia pelos anabatistas e em 1529 esteve refugiado em Estrasburgo, onde manteve contato com Schwenckfeld, Serveto e Bünderlin, talvez com Melchior Hoffman.

Franck foi pioneiro em utilizar fontes historiográficas e etnográficas na reflexão teológica. Em um catálogo comparativo das facções do cristianismo, criticou tanto os reformadores quanto os católicos. A partir de relatos de viagens, especialmente das nações novas aos Europeus, inclusive a América demonstrou que a apreensão da verdade seria mais complexa. Critica o sectarismo bem como a limitação dos diversos sistemas teológicos. Embora não poupasse críticas aos anabatistas, foi contado como um deles (e perseguido como tal), além de seus escritos usufruírem ampla aceitação no movimento anabatista.

Franck e outros seus contemporâneos foram chamados de pneumatici ou espiritualistas, por enfatizarem o caráter espiritual da Igreja ao invés de atribuir importância à instituição visível, aos dogmas teológicos e aos sacramentos.