Johann Tobias Beck

J. T. Beck (1804- 1878) foi um teólogo alemão notório por sua posição biblicista, realista e existencial.

Filho de uma família de classe média de Württemberg, estudou na Universidade de Tübingen de 1822 a 1826. Influenciado pelo pietismo radical e por Johann Albrecht Bengel; serviu como ministro em várias paróquias em Württemberg. Em 1836 passou a lecionar Universidade de Basel, mas em 1843 ele voltou para Tübingen.

Críticos dos hegelianos e das posições liberais e conservadoras teológicas de sua época, Beck era expoente de uma escola teológica própria. A Escola de Württemberg contrastava tanto com a escola crítica de Tübingen representada por Ferdinand Christian Baur quanto a escola historicista de F. Delitzsch e C. F. Keil. Para Beck, ambas eram demasiadamente especulativas.

A base para teologia não seria o “conhecimento especulativo” somente “conhecimento para a fé”. Qualquer coisa que não fosse biblicamente fundamentado não se qualifica como verdadeiro conhecimento de Deus. Ao invés de olhas as Escrituras como um objeto a ser examinado em seu contexto do passado histórico, Beck buscou encontrar nela a História de Salvação. Nisso, os eventos e testemunhos humanos que dariam origem ao texto bíblico canônico são irrelevantes à fé, pois o encontro do crente com esse plano divino na história documentada na Bíblia levaria à ação e paradoxos que forçariam a conhecer relacionamente a Deus. A razão humana ou a síntese feita pela Igreja poderiam até produzir ou não conhecimento verdadeiro, mas a exegese espiritual (pneumática) da Bíblia resulta da obra do Espírito Santo. Dessa forma, a teologia sistemática aos moldes da História de Salvação produzirá o conhecimento real de Deus.

Beck antecede muito da teologia dialética. Por exemplo, introduziu Søren Kierkegaard aos alunos em Tübingen e depois Karl Barth veria nele um interlocutor.

BIBLIOGRAFIA

Einleitung in das System der christlichen Lehre (1838, 2a ed. 1870)
Die christliche Lehrwissenschaft nach den biblischen Urkunden (1841)
Umriss der biblischen Seelenlehre (1871)
Christliche Reden (6 band, 1834-1870)
Leitfaden der christlichen Glaubenslehre (1869)
Christliche Liebeslehre (1872)
Erklärung der zwei Briefe Pauli an Timotheus (1879)
Pastorallehren nach Matthäus und der Apostelgeschichte (1880)
Vorlesungen über christliche Ethik (3 band, 1882-83)
Erklärung der Offenbarung Johannes 1–12 (1883)
Erklärung des Briefs an die Römer (1884)
Erklärung der Briefe Petri (1896)