Cronologia do surgimento da civilização

Uma linha do tempo das principais marcas pré-históricas do Antigo Oriente Próximo.

10000 a.C. Mudanças climáticas iniciam a desertificação da Arábia e do Sahara. As populações respondem com maior mobilidade e estabelecendo-se em oásis. A pressão para garantir a subsistência com poucos recursos força o crescimento de complexidade social e o início de atividades econômicas contínuas no pastoralismo e agricultura.                        

9000 a.C. Em uma planície no norte da Mesopotâmia em uma região que é hoje Turquia floresceu o centro cerimonial de Göbekli Tepe (1000-8800 a.C.). Este seria o templo mais antigo encontrado, composto de monumentos megalíticos em formato de T, decorado com alto relevo de animais e figuras humanas. O espantoso é que essa população não praticava a agricultura, não conhecia a cerâmica, os metais ou a roda. As ricas fauna e flora eram suficientes para manter essa população semi-urbana, sendo comparável ao Jardim do Éden.

8800 a.C. No neolítico inicial (pré-cerâmico) a agricultura de aveia e trigo desenvolve-se na Crescente Fértil, com centros urbanos em em Byblos, Gilgal e Tell es-Sultan (Jericó). Nesse último local, foi erguida uma torre e um muro ao redor da cidade. Mais tarde, em Tell Aswad, no sul da Síria, passou-se a construir casas de adobe, utilizar lâminas de obsidiana, moldar figuras em argila, produzir cestos e a domesticação de animais. 

7500 a.C. O centro cerimonial de Nabta Playa, no Deserto da Núbia, a leste do Nilo, contém vestígios de sacrifícios de animais e de monumentos para a observação astronômica.  

6000 a.C. No Período Ubaid (6500-3800) a agricultura e a domesticação de animais intensificam no sul da Mesopotâmia. Nas várias vilas há o trabalho coordenado de irrigação e avanço da cerâmica. Passam  a usar tijolos secos ao sol. Outras culturas quase contemporâneas e semelhantes na região são as de Samarra, Halaf e Hassuna, nesta última se inicia a fundição de cobre.

4500 a.C. Difusão da metalurgia (cobre) no Oriente Médio e Anatólia. A mineração de cobre em Timna, no deserto do Negev, iniciou-se por volta de 5500 aC e durou até o século I d.C.

4000 a.C. A desertificação do Saara e de áreas na Árabia próximas à Mesopotâmia, Síria e Canaã levam a uma pressão para habitar em sociedades urbanas, com a produção especializada de alimentos, surgindo o comércio e a redistribuição de víveres nos templos que funcionavam como proto-estados.

4000-3100 a.C. Na Mesopotâmia surge a civilização de Uruk I (pré-literária), com cidades-estados, templos, estratificação social, uso de sinetes (bullae) com pictogramas que evoluíram para a escrita.

3300–1200 a.C. Início da Idade do Bronze. A liga de cobre e estanho permitiu desenvolver ferramentas mais duras, ampliando a agricultura e o início da militarização.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s