Crítica confessional

O termo crítica confessional aplica-se a duas abordagens de exegese homônimas, porém não relacionadas, além de o termo servir para leituras teológicas sem critérios exegéticos.

A primeira abordagem refere-se à Interpretação Teológica das Escrituras. Desde a distinção proposta por Johann Philipp Gabler entre teologia e estudos bíblicos, a primeira disciplina ficou relegada em fases posteriores da exegese, notoriamente na atualização ou aplicação das Escrituras ou totalmente não considerada. Por outro lado, a reflexão teológica passou a considerar as ciências bíblicas como anciliar da teologia. No entanto, um movimento heterogêneo de exegetas desde dos anos 1950 discutem como conciliar ambas disciplinas.

No entanto, por vezes, o termo de interpretação confessional implica em um criticismo às práticas eisegéticas em muitos teólogos que imprimem no textos bíblicos significados alinhados às suas ideologias e tradições teológicas. Nessa linhagem, o termo leitura confessional ou leitura teológica pressupõe uma interpretação sem consciência de critérios exegéticos.

O segundo significado reflete a utilização de análises literárias voltadas para autobiografias, confissões pessoais, autoetnografia, testimonios para compreender os textos bíblicos.

Ambas abordagens são importantes por transparecer o quanto as interpretações são carregadas de perspectivas pessoais ou pressupostos teológicos. Adicionalmente, legitimam leituras que sirvam para professar experiências de fé, tanto pessoais quanto alinhadas às tradições das confissões históricas.

BIBLIOGRAFIA

Allison, Gregg R. “Theological Interpretation of Scripture: An Introduction and Preliminary Evaluation,” Southern BaptistJournal oJ Theology 14/2 (2010), 28-36.

Blocher, Henri. La Bible au microscope: Exégèse et théologie biblique. Vaux-sur-Seine: Edifac, 2006.

Fowl, Stephen E. (ed.), The Theological Interpretation of Scripture: Classic and Contemporary Readings. Blackwell Readings in Modern Theology: Cambridge: Blackwell, 1997.

Green, Joel B.  Practicing Theological Interpretation: Engaging Biblical Texts for Faith and Formation. Grand Rapids: Baker, 2011.

Kitzberger, Ingrid R. Autobiographical Biblical Criticism: Between Text and Self. BRILL, 2019.

Rosenthal, M.L. The Poet’s Art. New York: Norton, 1989.

Trimm, Charlie. “Evangelicals, Theology, and Biblical Interpretation: Reflections on the Theological Interpretation of Scripture.” Bulletin for Biblical Research 20.3 (2010): 311-330.

Treier, Daniel. Introducing Theological Interpretation oj Scripture: Recovering a Christian Practice. Grand Rapids, MI: Baker, 2008.

Topping, Richard R. Revelation, Scripture and Church: Theological Hermeneutic Thought of James Barr, Paul Ricoeur, and Hans Frei. Aldershot: Ashgate, 2007.

Wolters, Al. “Confessional Criticism and the Night Visions of Zechariah.” Renewing Biblical Interpretation 1 (2000): 90.

Vanhoozer, Kevin (ed.), Dictionary of Theological Interpretation of the Bible Grand Rapids, MI: Baker, 2005.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: