Horeus

Horitas ou horeus, em hebraico חֹרִים‎ horim. Aparecem em Gn 14:6, 36:20, Dt 2:12, embora outras passagens em Josué e Samuel possam referir-se a eles.

O Texto Masorético faz confusão entre “heveus” e “horitas”, possivelmente pela semelhança das letras hebraicas Vav e Resh, enquanto a Septuaginta registra “horita”.

Habitaram nas áreas ao redor do Monte Seir em Canaã (Gn 36:2,5) antes de serem substituídos pelos edomitas. Na lista de chefes dos horeus em Gn 36:20-29 e 1 Cr 1:38-42 aparecem dois nomes femininos, Oolibama, a filha de Aná; e a Timna irmã de Lotã.

Como o termo Ḥor em hebraico significa caverna, supõe-se que fosse habitantes das cavernas da região. Há dúvidas se são relacionados com o hurritas, povos não semíticos que dominaram o sul da Anatólia e norte da Síria nos meados da Idade do Bronze.

Tabuletas de Nuzi

Coleção com mais de 6.000 tabuletas descobertas no local da antiga cidade de Nuzi, um centro administrativo hurrita que floresceu por cerca de 150 anos durante a Idade do Bronze Tardia.

Nuzi, escavada entre 1925 e 1933, localiza-se na moderna Yorghan Tepe, a 13 km a sudoeste de Kirkuk, no norte do Iraque.

Os arquivos de Nuzi incluem contratos, registros de venda, testamentos, vendas de escravos, listas de racionamento, memorandos, atas de julgamento e textos escolares.

Quando os primeiros textos de Nuzi foram publicados, houve uma empolgação de que eles continham informações sobre o período dos patriarcas. Ephraim Avigdor Speiser disseminou leituras das tabuletas de Nuzi que supostamente afirmaria costumes da Idade do Bronze referente a casamento, dentre eles contratos de adoção de esposa como irmã e de uso de um serva como mãe sub-rogada. Nos anos 1970 a revisão desses materiais revelou que Speiser interpretou-os erroneamente. Desse modo, constatou-se que muitos dos costumes eram comuns às outras épocas ou que os supostos paralelismos seriam interpretações equivocadas dada a incompetência técnica dos primeiros estudiosos a publicar as tabuletas. Contudo, Nuzi permanece um recurso histórico, linguístico e arqueológico importante para o período.

BIBLIOGRAFIA

Taggar-Cohen, Ada. “Law and Family in the Book of Numbers: The Levites and the Tidennutu documents from Nuzi.” Vetus Testamentum 48 (1998): 74–94.