Ellen Flesseman-van Leer

Ellen Flesseman-van Leer (1902-1945) foi uma cristã holandesa conhecida que participou do movimento de resistência contra a ocupação nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

Nascida em Rotterdam, Holanda, casou-se com Jan Flesseman em 1924 e tiveram dois filhos.

Durante a guerra, Ellen e seu marido ajudaram a esconder e proteger refugiados judeus, incluindo crianças, em sua casa. Eles também trabalharam com a resistência holandesa para ajudar a contrabandear pessoas para fora do país e coletar informações sobre as atividades nazistas. Em 1944, eles foram presos e enviados para campos de concentração. Ellen foi primeiro enviada para Ravensbrück, depois transferida para Sachsenhausen, onde morreu em 5 de fevereiro de 1945, poucos meses antes do fim da guerra.

Girolamo Savonarola

Girolamo Savonarola (1452-1498) foi um frade e pregador dominicano italiano que fez uma tentantiva de reformas radicais na Igreja e sociedade em Florença.

Savonarola acreditava que a Igreja havia se corrompido e que precisava retornar a uma forma mais austera e humilde de cristianismo. Pregou sermões inflamados contra os excessos e a decadência moral da época, pedindo que as pessoas se arrependessem e se afastassem do pecado. Criticou o governo da família governante Medici e seu estilo de vida luxuoso.

A influência de Savonarola em Florença cresceu e ele se tornou o líder de fato da cidade por um tempo. No entanto, suas opiniões intransigentes e métodos duros de impor suas reformas acabaram levando à sua queda. Então seria excomungado pelo Papa e, finalmente, queimado na fogueira por heresia.

Margret Hottinger

Margret Hottinger (?-1530) foi uma reformadora, pregadora, pioneira e mártir anabatista suíça.

Filha de um camponês alfabetizado, por volta de 1525 sua família esteve entre os organizadores da primeira congregação anabatista em Zollikon, a três quilômetros de Zurique. Em 30 de janeiro foram presos 31 anabatistas. Diante desssa perseguição, Margaret decidiu-se ser batizada.

Margret Hottinger começou a pregar e a profetizar na congregação de Zollikon, inclusive falando em línguas. A jovem foi presa pelas autoridades de Zurique em novembro de 1525, junto de outros líderes como Conrad Grebel, Félix Mantz, Jorge Cajakob, Miguel Sattler e Martín Linck.

No processo Margret Hottinger declarou que “o batismo infantil estava errado e o dos crentes estava correto. Também pediu às autoridades que provassem a validade do batismo infantil e que, se o fizessem, ela estaria disposta a renunciar [de suas crenças].” Depois de um longo período na prisão, foi solta na condição de abjurar ao anabatismo.

Em 1530, percebendo que as condições estavam piorando, a família de Margret e outros anabatistas decidiram migrar para a Morávia. Contudo, foram presos no caminho próximo a Ravensburg, já na Alemanha. Margret e seu pai foram condenados à morte, seu irmão Felix foi poupado devido ser jovem demais. Jakob Hottinger foi decapitado e Margret afogada.

BIBLIOGRAFIA

Snyder, C. Arnold, and Linda A. Huebert Hecht, eds. Profiles of Anabaptist Women: Sixteenth-Century Reforming Pioneers. Vol. 3. Wilfrid Laurier Univ. Press, 2010.

Balthasar Hubmaier

Balthasar Hubmaier (ca. 1480-1528) reformador de Waldshut, pioneiro anabatista e mártir.

Os escritos de Hubmaier refletem sua capacidade de erudição. Com educação humanista, representa a via média entre a Reforma Radical e a Reforma magistral.

Rejeitou o batismo infantil, efetivou a disciplina da igreja e rejeitou o juramento. Considerava legítimo o uso de força por autoridades civis. Hubmaier teria batizado mais de 2.000 seguidores na Morávia.

Foi preso por ordem do arquiduque Ferdinando da Áustria, a quem ele escreveu o Relato da Fé. Nesse documento explica suas perspectivas doutrinárias e posições anabatistas.

Morreu queimado na fogueira em Viena.

BIBLIOGRAFIA

MacGregor, Kirk R. A Central European Synthesis of Radical and Magisterial Reform: The Sacramental Theology of Balthasar Hubmaier. University Press of America, 2006.

Joan Bocher

Joan Bocher (?-1550), também Boucher, Butcher, Knell ou Joan of Kent, foi uma mártir anabatista inglesa queimada durante a Reforma Inglesa no reinado de Eduardo VI.

Joan tornou-se seguidora das doutrinas de Melchior Hoffman em um círculo de anabatistas na região de Kent. Presa em 1548 por não crer nas doutrinas do sacramento, seria condenada como herege.