Conteúdo comum dos evangelhos

Se extrair dos quatro evangelhos somente as frases comuns (sem considerar total coincidência vocabular nem temas compartilhados) teremos o seguinte texto:

[as boas-novas de Jesus Cristo]

  1. João veio a batizar no deserto,
  2. e a pregar o batismo de arrependimento para remissão dos pecados. 
  3. E toda a província da Judeia e todos os hierosolimitanos saíam até ele; e eram batizados
  4. por ele no rio Jordão, confessando seus pecados. 
  5. E aconteceu que, naqueles dias, Jesus de Nazaré da Galileia veio, e foi batizado por João no Jordão. 
  6. Jesus veio para a Galileia,
  7. entrou na sinagoga e começou a ensinar. 
  8. “Levanta-te, toma o teu leito, e anda”? 
  9. E logo ele se levantou, tomou o leito, e saiu na presença de todos,
  10. E foram-se a um lugar deserto à parte. 
  11. Mas aos viram ir, e muitos o reconheceram. Então correram para lá a pé de todas as cidades, chegaram antes deles. 
  12. Quando saiu, viu uma grande multidão, e começou a lhes ensinar muitas coisas. 
  13. E quando já era tarde, os seus discípulos vieram a ele, e disseram: O lugar é deserto, e a hora já é tarde. 
  14. Despede-os, para eles irem aos campos e aldeias circunvizinhos, e comprarem comida
  15. Mas ele respondeu: Dai-lhes vós mesmos de comer.
  16. disseram: Cinco, e dois peixes. 
  17. E mandou-lhes que fizessem sentar a todos em grupos
  18. E sentaram-se repartidos de cinquenta em cinquenta. 
  19. Ele tomous os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos ao céu, abençoou, e partiu os pães, e os deu aos discípulos, para que os pusessem diante deles. E os dois peixes repartiu com todos. 
  20. Todos comeram e se saciaram. 
  21. E dos pedaços de pão e dos peixes levantaram doze cestos cheios.
  22. Saiu Jesus com seus discípulos para as aldeias de Cesaréia de Filipe; e no caminho perguntou-lhes: Quem dizem os homens que sou eu?
  23. Eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Um dos profetas.
  24. Ele lhes perguntou: Mas vós, quem dizeis que sou eu? Respondeu-lhe Pedro: Tu és o Cristo.
  25. Ordenou-lhes Jesus que a ninguém falassem a respeito dele.
  26. E quando chegaram perto de Jerusalém,
  27. E trouxeram o jumentinho a Jesus, e lançaram sobre ele suas roupas, e sentou-se sobre ele. 
  28. E muitos estendiam suas roupas pelo caminho, e outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho. 
  29. E os que iam adiante, e os que seguiam, clamavam: Hosana, bendito o que vem no Nome do Senhor! 
  30. Bendito o Reino
  31. E vieram a Jerusalém; e entrando Jesus no Templo, começou a expulsar aos que vendiam dizendo-lhes: Não está escrito: Minha casa será chamada casa de oração? Mas vós a tendes feito esconderijo de assaltantes! 
  32. E estando ele em Betânia, em casa de Simão o Leproso, sentado, veio uma mulher, que tinha um vaso de alabastro, de óleo perfumado de nardo puro, de muito preço, e quebrando o vaso de alabastro, derramou-o sobre a cabeça dele. 
  33. E houve alguns que se irritaram em si mesmos, e disseram: Para que foi feito este desperdício do óleo perfumado? 
  34. Porque isto podia ter sido vendido por mais de trezentos dinheiros, e seria dado aos pobres. E reclamavam contra ela. 
  35. Porém Jesus disse: Deixai-a; por que a incomodais? Ela tem me feito boa obra. 
  36. Porque pobres sempre tendes convosco; e quando quiserdes, podeis lhes fazer bem; porém a mim, nem sempre me tendes. 
  37. Esta fez o que podia; se adiantou para ungir meu corpo, para sepultura. 
  38. Em verdade vos digo, que onde quer que em todo o mundo este Evangelho for pregado, também o que esta fez será dito em sua memória. 
  39. E Pedro lhe disse: Ainda que todos se ofendam, não porém eu. 
  40. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo, que hoje, nesta noite, antes que o galo cante duas vezes, me negarás três vezes. 
  41. Mas ele muito mais dizia: Ainda que me seja necessário morrer contigo, em maneira nenhuma te negarei. E todos diziam também da mesma maneira. 
  42. E vieram ao lugar, cujo nome era Getsêmani, e seus discípulos
  43. E logo veio Judas e com ele uma grande multidão, com espadas e bastões, da parte dos chefes dos sacerdotes, e dos escribas, e dos anciãos. 
  44. E um dos que estavam presentes ali puxando a espada, feriu ao servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha. 
  45. E respondendo Jesus, disse-lhes: Como a assaltante, com espadas e bastões, saístes para me prender? 
  46. Todo dia convosco estava no Templo ensinando, e não me prendestes;
  47. E levaram Jesus ao sumo sacerdote; e juntaram-se a ele todos os chefes dos sacerdotes, e os anciãos, e os escribas. 
  48. E Pedro o seguiu de longe até dentro da sala do sumo sacerdote, e estava sentado juntamente com os trabalhadores, e esquentando-se ao fogo. 
  49. E os chefes dos sacerdotes, e todo o tribunal buscavam testemunho contra Jesus, para o matarem, e não achavam. 
  50. Porque muitos testemunhavam falsamente contra ele; mas os testemunhos não concordavam entre si. 
  51. E levantando-se uns testemunhava falsamente contra ele, dizendo: 
  52. Nós o ouvimos dizer: Eu derrubarei este templo feito de mãos, e em três dias edificarei outro, feito sem mãos. 
  53. E nem assim era o testemunho deles concordante. 
  54. E levantando-se o sumo sacerdote no meio, perguntou a Jesus, dizendo: Não respondes nada? Que testemunham estes contra ti? 
  55. Mas ele calava, e nada respondeu. O sumo sacerdote voltou a lhe perguntar, e disse-lhe: Tu és o Cristo, o Filho do bendito? 
  56. E Jesus disse: Eu sou; e vereis ao Filho do homem sentado à direita do poder, e vir nas nuvens do céu. 
  57. E o sumo sacerdote, rasgando suas roupas, disse: Para que mais necessitamos de testemunhas? 
  58. Tendes ouvido a blasfêmia; que vos parece? E todos o condenaram por culpado de morte. 
  59. E alguns começaram a cuspir nele, e a cobrir-lhe o rosto; e a dar-lhe de socos, e dizer-lhe: Profetiza. E os trabalhadores lhe davam bofetadas. 
  60. E estando Pedro embaixo na sala, veio uma das servas do sumo sacerdote; 
  61. E vendo a Pedro, que se sentava esquentando, olhou para ele, e disse: Também tu estavas com Jesus o Nazareno. 
  62. Mas ele o negou, dizendo: Não conheço, nem sei o que dizes: E saiu-se fora ao alpendre; e cantou o galo. 
  63. E a serva vendo-o outra vez, começou a dizer aos que ali estavam: Este é um deles. 
  64. Mas ele o negou outra vez. E pouco depois disseram os que ali estavam outra vez a Pedro: Verdadeiramente tu és um deles; pois também és galileu,
  65. E ele começou a amaldiçoar e a jurar: Não conheço a esse homem que dizeis.
  66. E logo ao amanhecer, os sumos sacerdotes tiveram conselho com os anciãos, e com os escribas, e com todo o tribunal; e amarrando a Jesus, levaram e entregaram a Pilatos. 
  67. E perguntou-lhe Pilatos: És tu o Rei dos Judeus? E respondendo ele, disse-lhe: Tu o dizes. 
  68. E os chefes dos sacerdotes o acusavam de muitas coisas,
  69. Mas Jesus nada mais respondeu;
  70. E na festa lhes soltava um preso, qualquer que eles pedissem. 
  71. E havia um chamado Barrabás,
  72. E Pilatos lhes respondeu, dizendo: Quereis que vos solte? 
  73. a multidão, para que, ao invés disso, lhes soltasse a Barrabás. 
  74. e entregou a Jesus para que fosse crucificado. 
  75. e o vestiram de suas próprias roupas, e o levaram fora, para o crucificarem. 
  76. E forçaram que levasse sua cruz. 
  77. E o levaram ao lugar de Gólgota, que traduzido é: o lugar da caveira. 
  78. E havendo o crucificado, repartiram suas roupas, lançando sortes sobre elas, quem levaria cada uma. 
  79. E crucificaram com ele dois ladrões, um à sua direita, e outro à esquerda. 
  80. encheu de vinagre uma esponja, e pondo-a em uma cana, dava-lhe de beber,
  81. E Jesus, dando uma grande voz, expirou. 
  82. E vinda já a tarde, porque era a preparação, que é o dia antes de sábado; 
  83. Veio José de Arimateia, honrado membro do conselho, que também esperava o Reino de Deus, e com ousadia foi até Pilatos, e pediu o corpo de Jesus. 
  84. E havendo sido explicado pelo centurião, deu o corpo a José. 
  85. O qual comprou um lençol fino, e tirando-o, envolveu-o no lençol fino, e o pôs em um sepulcro escavado em uma rocha, e revolveu uma pedra à porta do sepulcro. 
  86. E Maria Madalena, e Maria de José, olhavam onde o puseram.
  87. E passado o sábado, Maria Madalena, e Maria de Tiago, e Salomé, compraram especiarias, para virem e o ungirem. 
  88. E manhã muito, o primeiro dia da semana, vieram ao sepulcro, o sol já saindo. 
  89. Porque era muito grande. E observando, viram que já a pedra estava revolta 
  90. E entrando no sepulcro, viram um rapaz sentado à direita, vestido de uma roupa comprida branca; e se espantaram. 
  91. Mas ele lhes disse:
  92. dizei a seus discípulos e a Pedro,
  93. E elas, saindo apressadamente, fugiram do sepulcro; porque o temor e espanto as tinha tomado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s