Alloiosis

Alloiosis, em grego “troca”, é tanto um recurso retórico quanto um modelo cristológico desenvolvido por Ulrico Zwingli.

(1) Como um termo retórico e figura de linguagem da classe das metáforas chama a atenção da audiência por notar as alterações qualitativas de um sujeito ou assunto. Esse recurso destaca as diferenças ao dividir um assunto em alternativas.

Um exemplo: “Tício, injustiçado, reclamou ‘o pau que bate em Chico não bate em Francisco’ “.

No exemplo dado há dois casos de alloiosis, uma para pau e outra para Chico/Francisco. No primeiro, o mesmo referente (pau) aparece com diferença qualitativa em diferente situação de referência. Chico/Francisco, sendo equivalentes, é apresentado como forçosamente diferentes.

(2) Doutrina de comunicação de propriedades (comunicatio idiomatum) de como Jesus Cristo manteve seus atributos divinos e humanos. Zwingli explicou a comunicação de atributos entre as naturezas divina e humana de Cristo como similar ao dispositivo retórico de alloiosis para expressar a unidade das duas naturezas de Cristo em uma pessoa e não para significar uma troca real das propriedades entre as duas naturezas. Essa doutrina foi basilar para o desenvolvimento da visão memorialista e de testemunho dos sacramentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s