Vito Nicola Moles

Vito Nicola Moles (também grafado Nicholas Moles) (1867-1944) foi um dos pioneiros do avivamento pentecostal de Chicago e Los Angeles, onde congregou em Azusa Street.

Nascido em Albano di Lucania, na Basilicata, Itália imigrou para Chicago. Algumas fontes inferem que já era evangélico antes de imigrar. É algo plausível, pois na sua região havia atividades da Igreja Livre, dos metodistas wesleyanos, batistas e da Igreja dos Irmãos ao menos desde a década de 1870. Em Chicago, tornou-se membro da First Italian Presbyterian Church, sendo apontado diácono em 14 de abril de 1901. Enquanto membro, Moles questionava a prática de batismo infantil, filiação formal (registrar o nome em um livro de membros) e a necessidade de ministério treinado em seminário, pois cria que bastava a guia do Espírito Santo (Yuasa, 2001, pp. 113-114).

Casou-se com Angelica DeGrazia, também originária da Basilicata, da aldeia de Calvello, com quem teve as filhas Carmela, Helen e Ruth. Mais tarde, já em Los Angeles, teriam os filhos John e Joshua.

O casal Moles acompanhou Francescon e outros crentes italianos ao batismo presidido por Giuseppe Beretta no Lake Front de Chicago em 1903. Teriam se batizado e participado das reuniões de culto domésticas, cuja primeira foi seu lar.

Quando houve a cisão com o grupo de Beretta por causa da guarda do domingo, junto das famílias Francescon e DiCicco os Moles passaram a se reunir semanalmente para culto e santa ceia. No entanto, poucos meses depois os Moles se mudariam para Los Angeles em busca de melhores oportunidades.

Em Los Angeles Nicola Moles trabalhou como padeiro e depois abriu uma barbearia.

Quando em 1906 houve o avivamento de Azusa Street, suas filhas souberam e foram visitar a Missão de Azusa. Após alguns dias receberam os dons com sinais de falar em novas línguas. Seus pais passaram a acompanhá-las.

Carmela, Hellen e Ruth

Em Azusa encontraram outras crentes italianas: Annie Vienna Holmgren, Rosina Tanzola e suas filhas Angie e Jeannie.

Depois da conversão de mais crentes italianos, o grupo organizou cultos domésticos no verão de 1907. O lar dos Moles na Mozart Street, no coração da Little Italy de Los Angeles, se tornou uma casa de oração.

Um ano depois, quanto ocorreu o avivamento entre os italianos de Chicago, certamente os Moles se comunicaram com eles. Assim, nos finais de 1907 Rosina Moles veio a Los Angeles e no começo do ano seguinte vieram Louis Francescon e Giacomo Lombardi. Em suas memórias, então escritas em avançada idade, Francescon relembra essa passagem:

Em fins de Outubro [de 1907], o Senhor enviou minha esposa a Los Angeles, Cal., a fim de dar o testemunho da promessa à família do irmão N. Moles, que residia naquela cidade há cerca de um ano antes da manifestação do Espírito Santo, resultando assim, que também alguns deles foram selados e então se uniram com os irmãos Americanos que ali habitavam. (…) Em 15 de Julho, me veio encontrar em St. Louis, Mo, o irmão Lombardi e de lá partimos para a Califórnia, em princípios de Setembro. Ele voltou a Chicago para depois partir para Roma (Itália) onde diversos foram pelo Senhor chamados e eleitos para serem Suas testemunhas naquela nação. Eu fiquei em Los Angeles, e acolhi em casa do irmão N. Moles algumas irmãs italianas já salvas e batizadas com o Espírito Santo, nas Igrejas Americanas daquela cidade. Naquele tempo, o Senhor salvou o irmão Serafino Arena e família, além de outros e após tempos, o irmão S. Arena sentiu-se levar o testemunho na Sicília (Itália), onde foi bem sucedido. Em 3 de Março de 1909, voltei a Chicago.

Nessa época, com a bênção de William Seymour (conforme um antigo membro da Christian Assembly, C.G.) foi formada a Italian Pentecostal Mission, mais tarde renomeada Italian Christian Assembly. Inicialmente a casa de oração localizava-sa na esquina da 15th e San Pedro Streets. Depois mudaram para várias localizações até assegurar um local na 22nd Street.

Dada a ausência de outras igrejas pentecostais italianas na cidade, os crentes ocasionalmente congregavam e mantiveram comunhão com outros crentes americanos na Victoria Hall Assembly, pastoreada por Warren Fisher. Lá, mantiveram comunhão com outros expoentes do movimento, como William Seymour e Aimee McPherson.

A igreja italiana propagou-se organicamente. Depois da assistência de Francescon veio John Perrou para servir como ancião. Os Moles foram membros ativos dessa congregação e a viram crescer.

BIBIOGRAFIA

Arnold, Eric E. A History of the Christian Assembly Foursquare Church. 1979.

C. G.- Contato pessoal. Brasileiro membro da CCB que migrou a Los Angeles nos anos 1950 e foi por algum tempo membro da Christian Assembly.

Francescon, Louis. Fedele testimonianza. Chicago, 1954.

Annie Vienna Holmgren

Nascida Annie Vienna (1877-1969) em Piana degli Albanesi, na província de Palermo, Sicília, Itália, após imigrar aos Estados Unidos se estabeleceu em Los Angeles.

Annie se casou com o sueco Theodore Leonard Holmgren em 1892 e tiveram seis filhos.

Em 1897 foi salva, convertendo-se na Igreja do Nazareno, convidada por uma vizinha. Annie levava duas meninas, filhas de Rosina Tanzola para a escola dominical, e após alguns anos Rosina também se converteu.

Quando houve o avivamento da Rua Azusa em Los Angeles em 1906, Annie, as Tanzola e os novos conhecidos a família Moles, italianos vindos de Chicago, frequentaram a missão de Azusa.

Este grupo experimentou os dons do Espírito Santo e no final de 1907 recebeu a visita de Rosina Francescon, uma crente italiana de Chicago que também tinha recebido a efusão do Espírito.

Entre os finais de 1907 e início de 1908 o grupo cresceu. Logo vieram outros dirigentes da igreja italiana de Chicago, entre eles o esposo de Rosina, Louis Francescon, e organizaram uma igreja própria para os italianos, com a bênção do dirigente de Azusa, William Seymour.

A Italian Pentecostal Mission de Los Angeles cresceu e foi atendida por John Perrou, mas logo morreria devido à gripe espanhola. Annie Holmgren acompanhou o crescimento da igreja, então chamada de Italian Christian Assembly, localizada na Rua 22 em Los Angeles.

Lucy Leatherman

Lucy Leatherman (1870–1925), missionária e pioneira pentecostal.

Nascida perto de Greencastle, Indiana, frequentou a Escola de Treinamento Missionário de A. B. Simpson em Nyack, Nova Yorque. Teria também tido uma educação superior.

Após se tornar viúva de um médico frequentou a Escola Bíblica de Topeka, Kansas, dirigida por Charles Parham. Em 1901 Lucy Farrow impôs-lhe as mãos para que recebesse os dons do Espírito Santo.

Durante o avivamento da Rua Azusa, Leatherman frequentou os cultos. Lá, teria falado em línguas que ela acreditou que fosse o árabe e sentiu um chamado de ir à Palestina. Logo partiria em sua primeira viagem missionária, totalmente pela fé e sem o apoio financeiro ou denominacional. Em agosto de 1906 partiu junta de Louisa Condit e o missionário sueco Andrew Johnson. No trecho dessa viagem através dos Estados Unidos o grupo conduziram várias reuniões de busca dos dons.

Em Colorando Springs, CO, encontraram com William Durham, pastor de uma missão de santidade independente em Chicago. O grupo introduziu-lhe a mensagem da efusão dos dons e o do batismo no Espírito Santo.

Em Nova Iorque se hospedaram na Alliance House, mantida por A. B. Simpson. Lá encontraram e oraram juntos com T. B. Barratt, pioneiro pentecostal na Escandinávia. Vários receberam o batismo do Espírito Santo na cidade e o grupo estabeleceram um missão com vários congregando. Então, Leatherman convidou a Marie Burgess e seu marido Robert Brown para assumirem as responsabilidades da missão, a Glad Tidings Tabernacle, umas maiores congregação pentecostais da cidade de Nova Yorque e entreposto misisonário.

O grupo chegou a Jerusalém no final de 1906, onde ajuntou um pequeno grupo de crentes batizados pelo Espírito Santo. Leatherman visitou várias cidade do Oriente Médio e iniciou a igreja em Assiout, aonde depois viria Lillian Trasher fundar seu famoso orfanato.

Em 1909 Leatherman partiu para a Arábia, depois Índia, Hong Kong, Xangai e Yokohama, onde adoeceu. Poucos meses depois foi às Filipinas e aos EUA.

Em 1911 iniciaria sua segunda viagem missionária. Visitou os crentes pentecostais da Grã-Bretanha e se estabeleceu em Jerusalém em fevereiro de 1912. Nessa época, Giacomo Lombardi teria visitado sua igreja em Jerusalém. No ano seguinte, esteve em Beirute e no Egito.

Com o início da Primeira Guerra Mundial em 1914, Leatherman retornou aos Estados Unidos.

Sua terceira viagem missionário foi em 1917. Nessa época se filia à Igreja de Deus (Cleveland). Esteve no Panamá a caminho de Valparaíso, Chile. No Chile visitou e pregou nas igrejas dirigidas por Willis Hoover. Em 1920-1921, esteve em Buenos Aires, onde congregou na Asamblea Cristiana de Villa Devoto. Argentina. Enferma, retornou aos EUA em 1921 (ou em 1923).

Com a saúde deteriorada, morreu em 1925. Era talvez a pessoa que mais tinha viajado em missões dentro do movimento pentecostal. Foi também o elo que conectou pioneiros e congregações em vários continentes.

BIBLIOGRAFIA
Alexander, Estrelda. The Women of Azusa Street. Cleveland: The Pilgrim Press, 2005.

Anderson, Allan. Spreading Fires: The Missionary Nature of Early Pentecostalism. Londres: SCM, 2007

Newberg, Eric N. The Pentecostal Mission in Palestine. Eugene, OR: Pickwick, 2012.