Proto-trinitarismo

Proto-trinitarismo refere-se às formulações que concebem Deus como uma multiplicidade complexa, todavia sendo um único Deus, antes dos consensos cristãos formulados nos concílios de Niceia e Calcedônia.

Nas Escrituras Hebraicas elementos aparecem no “Anjo de Yahweh” e no “YHWH katan”, bem como em personificações do Espírito (Ruach), Sabedoria (Sophia), Glória (Shekinah), Palavra (Memra) e Filho do Homem. Também, Deus aparece como uma pleroma divina, assembleia divina ou em uma corte celestial.

No período do Segundo Templo esses elementos fruíram em concepções mais pluriúnicas de Deus por autores como Filo, os Targum, no chamado judaísmo enoquiano das pseudoepígrafas, no proto-rabinismo e na patrística cristã.

BIBLIOGRAFIA

Barker, Margaret. The Great Angel: A Study of Israel’s Second God. Louisville, KY: Westminster / John Knox Publishers, 1992.

Bauckham, Richard, “The Throne of God and the Worship of Jesus” Pages 43-69 in The Jewish Roots of Christological Monotheism: Papers from the St. Andrews Conference on the Historical Origins of the Worship of Jesus. Edited by C. Newman, J. Davila, and G. Lewis. Leiden: E. J. Brill, 1999

Bauckham, Richard, God Crucified: Monotheism & Christology in the New Testament. Grand Rapids, MI: Eerdmans, 1998

Boyarin, Daniel. “The Gospel of the Memra: Jewish Binitarianism and the Prologue to John,” Harvard Theological Review 94:3 (July, 2001), 243-284

Boyarin, Daniel, “Two Powers in Heaven; or, The Making of a Heresy,” in The Idea of Biblical Interpretation: Essays in Honor of James L. Kugel. Leiden: Brill, 2003, pp. 331-370.

Fossum, Jarl E. The Image of the Invisible God: Essays on the Influence of Jewish Mysticism on Early Christology. Göttingen: Vandenhoeck and Ruprecht, 1995.

Gathercole, Simon. The Pre-Existent Son: Recovering the Christologies of Matthew, Mark, and Luke. Grand Rapids: Eerdmans, 2006.

Gieschen, Charles. Angelomorphic Christology: Antecedents and Early Evidence. Boston: Brill, 1998, pp. 195, 196, 229–237.

Hannah, Darrell D. Michael and Christ: Michael Traditions and Angel Christology in Early Christianity. Wissenschaftliche Untersuchungen zum Neuen Testament 109. Tübingen: Mohr-Siebeck, 1999.

Heiser, Michael. The Unseen Realm: Recovering the Supernatural Worldview of the Bible. Bellingham: Lexham Press, 2015.

Hurtado, Larry W. One God, One Lord: Early Christian Devotion and Ancient Jewish Monotheism. Philadelphia: Fortress, 1988.

Hurtado, Larry W. “First-Century Jewish Monotheism.” Journal for the Study of the New Testament 71 (1998): 3-26.

Hurtado, Larry W. “The Binitarian Shape of Early Christian Worship.” In The Jewish Roots of Christological Monotheism, Papers from the St. Andrews Conference on the Historical Origins of the Worship of Jesus. Edited by Carey C. Newman, James R. Davila and Gladys S. Lewis, Supplements to the Journal for the Study of Judaism, ed. John J. Collins. Leiden: E. J. Brill, 1999, pp. 187-213 .

Hurtado, Larry W. How on Earth Did Jesus Become a God?: Historical Questions about Earliest Devotion to Jesus. Grand Rapids: Eerdmans, 2005.

Lee, Aquila H. I. From Messiah to Pre-existent Son. Wissenschaftliche Untersuchungen zum Neuen Testament 192. Tübingen: Mohr-Siebeck, 2005; reprinted Wipf and Stock, 2009.

Orlov, A. The Enoch-Metatron Tradition. TSAJ, 107; Tuebingen: Mohr-Siebeck, 2005.

O’Neill, J. C. “The Trinity and the Incarnation as Jewish Doctrines.” Who Did Jesus Think He Was? Brill, 1995.

Ronning. John, The Jewish Targums and John’s Logos Theology. Peabody: Hendrickson, 2010.

Segal, Alan F. Two Powers in Heaven: Early Rabbinic Reports about Christianity and Gnosticism. Leiden: E. J. Brill, 1977.

Pessoa

Pessoa (do latim persona) traduz os termos gregos Hipóstase (ὑπόστασις), Prosopon (πρόσωπον; plural: πρόσωπα), os quais no sentido bíblico não tem significado ordinário de um indivíduo dotado de um corpo, mas significa um modo de existência distinta (Hb 1:3).

É o entendimento do cristianismo trintário que Deus nas Escrituras está manifesto como três pessoas distintas e unidas, com perfeita comunhão em suas ações (Mt 3:16-17; Jo14:26; At 7:55-56).

O significado de Pessoa altera-se tanto em diferentes contextos de uso quanto no tempo. Hipóstase é o estado ou substância subjacente (Ousía) e é a realidade fundamental que sustenta tudo. Prosopon indica a aparência, aspecto exterior visível, de um ser humano, animal ou coisa. Por esse motivo também é traduzido como rosto ou face externa do que seria o ser, uma pessoa ou coisa. Porém, prosopon é distinto de personalidade como caráter ou psique, o cerne da apresentação do ser.

Pessoa denota a automanifestação de algo que pode ser estendido por meio de outras coisas. Por exemplo, a hipóstese de um escritor expressa sua prosopon mediante as palavras.

Espírito Santo

O Espírito Santo a revelação — ainda que elusiva — da presença de Deus no mundo e entre os seguidores de Deus. Nas Escrituras Hebraicas o Espírito Santo aparece como agente na criação (Gn 1:2; Sl 33:6; Ez 37:1-10); atua como fonte de inspiração e poder entre várias pessoas em Israel; e permanece como presença de Deus entre o povo ( Ez 11:14-21). No Novo Testamento é o Espírito de Deus que reveste de poder a Jesus como o Messias (Mt 3:13-17; Mt 12:28) e capacita a igreja para sua missão (Atos 2).

Na concepção cristã o Espírito Santo é uma Pessoa, no sentido de que possui vontade, inteligência e manifestação distintas. Assim, não se trata uma força ou energia, mas uma Pessoa (em grego hipóstase, não confundir Pessoa com indivíduo ou com o sentido popular dessa palavra em português) da Divindade Triúna,

O judaísmo rabínico identificou o Espírito Santo (hebraico Ruach ha-Kodesh) com a personificação da Glória de Deus (hebraico Shekinah) manifestada em 1 Sm 10:5-6, Is 6:1, Jr 14:21, Ez  8:4, Lc  2:9, Jo 17:22. Igualmente, tradições tardias identificaram a Sabedoria de Deus (em grego Sophia) (Pv  1:20–33; 8:1—9:12; 3:19; cf. Mt 11:19) com o Espírito Santo.

O Espírito Santo é criador (Gn 1:2; Jó 26:12-13; 33:4; S 104:27-31). Concede poder e inspira (Gn 41:38-39, Êx 28:3; 35:31; Dt 34:9, Jz  14:6, 19; 15:14-15; Is 61:1; Ez  2:1-2; Mq 3:8; Zc 7:12) e revela (1 Co 2:10). É onipresente (Sl 139:7-10). Assim, sendo igual e consubstancial com o Pai e o Filho, o Espírito Santo exerce poder, riquezas, sabedoria, força, honra, glória, e digno de receber ações de graças (cf. com os atributos ao Cordeiro de Deus em Ap 5:12).

Nomes, títulos e ação

Nas Escrituras o Espírito Santo não possui um nome próprio, por essa razão é referido por várias designações. Esses nomes remetem às ações, atributos, manifestações e propósitos do Espírito Santo.

  • Espírito Santo: Sl 51:11; Lc 11:13; Ef 1:13; 4:30. O vento, fôlego ou sopro – em latim Spiritus e em grego Pneumos – dão uma ideia que remete aos ventos que entre os povos do deserto significava a vida ou a morte: traziam a água ou destruíam tudo nas tempestades de areia quente como o vento simum (cf. Is 40:7, Sl 103-15-18, Jr 4:11, Os 6:3). Com um vento abriu o Mar Vermelho (Êx 14:21). Como fôlego, Deus dá o sopro da vida (Gn 2:7, Ez 37:9-10).
  • Os Sete Espíritos de Deus: Em Ap 1:4 o Espírito Santo é referido como os Sete Espírito de Deus, cujas designações aparecem em Is 11:2 “E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, e o Espírito de sabedoria e de inteligência, e o Espírito de conselho e de fortaleza, e o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor”.
  • Paracleto ou Paráclito: traduzido como Consolador (Jo 14:15-26; 15:26; 16:7) ou Advogado (1 Jo 2:1).
  • A inspiração do Todo-Poderoso: Jó 33:4.
  • A virtude do Altíssimo: Lc 1:35.
  • Espírito da glória de Deus: 1 Pe 4:14.
  • Espírito da graça: Zc 12:10; Hb 10:29.
  • Espírito da verdade: Jo 14:17; 15:26.
  • Espírito de adoção: Rm 8:15.
  • Espírito de ardor: Is 4:4.
  • Espírito de Cristo: Rm 8:9; 1 Pe 1:11.
  • Espírito de Deus: Gn 1:2; 1 Co 2:11; Jó 33:4.
  • Espírito de juízo, de justiça: Is 4:4; 28:6.
  • Espírito de profecia: Ap 19:10.
  • Espírito de sabedoria e de revelação: Is 11:2; Ef 1:17.
  • Espírito de santidade: Rm 1:4.
  • Espírito de vida: Rm 8:2; Ap 11:11.
  • Espírito do Filho: Gl 4:6.
  • Espírito do Pai: Mt 10:20.
  • Espírito do Senhor: Is 61:1, Is 11:2; At 5: 9.
  • Espírito Eterno: Hb 9:14.
  • Espírito voluntário: Sl 51:12.
  • O Bom Espírito: Ne 9:20; Sl 143:10.
  • O Espírito: Mt 4:1; Jo 3: 6; 1 Tm 4: 1.