Westminster Sisters

Agnes Smith Lewis (1843–1926) e Margaret Dunlop Gibson (1843–1920), eruditas bíblicas britânicas especializadas em línguas semíticas. Conhecidas pela redescoberta dos manuscritos da Geniza da Sinagoga do Cairo.

Filhas gêmeas de um jurista afluente, falavam alemão, francês e italiano quando deciriram aprender mais línguas e viajaram pela Europa e Oriente Médio em 1868.

As irmãs viajaram para o mosteiro de Santa Catarina no Sinai em 1892 e descobriram uma das primeiras versões siríacas dos Antigos Evangelhos Siríacos. Continuaram a coletar manuscritos e livros, fazendo importantes avanços nos estudos do aramaico cristão palestiniano. Colaboraram com os eruditos europeus de sua época, juntando mais de 1.700 manuscritos.

Identifiacaram na Geniza da Sinagoga Ben Ezra no Cairo, os fragmentos do qual seria um dos maiores achados em estudos bíblicos.

Pesquisaram em colaboração com Universidade de Cambridge, a qual nunca lhes concedeu diplomas às irmãs. Todavia, receberam títulos honorários das universidades de Halle, Heidelberg, Dublin e St Andrews.

Geniza de Cairo

Coleção de fragmentos de manuscritos recuperados na década de 1890 de um depósito de manuscritos descartados (“genizah”) na Sinagoga Ben Ezra no Cairo, Egito.

Os documentos datam do final do século IX até o século XIX e incluem fragmentos de livros do Antigo Testamento, fragmentos de Targum, porções hebraicas do livro de Siraque, palimpsestos de livros do Novo Testamento e duas cópias do Documento de Damasco, encontrado mais tarde entre os Manuscritos do Mar Morto.