Donald Bloesch

Donald George Bloesch (1928–2010) foi um teólogo evangelical congregacionalista americano.

Bloesch criticava tanto o misticismo fundamentado primordialmente nas experiências quanto um racionalismo que confiava no conhecimento intelectualizado. Estudou exaustivamente vertentes teológicas globais e apresentou uma síntese da teologia evangelicalista.

Criticava tanto vertentes nos polos liberais e fundamentalistas do protestantismo americano. Bloesch era tido como “evangélico progressista” ou “ortodoxo ecumênico” e visto como “conservador” dentro da Igreja Unida de Cristo, da qual era membro e ministro ordenado.

Júlio Zabatiero

Júlio Paulo Tavares Mantovani Zabatiero é um teólogo e biblista brasileiro. Ministro ordenado da Igreja Presbiteriana Independente e docente em várias escolas teológicas, é um dos difusores da hermenêutica contextual no Brasil.

Brevard Childs

Brevard Springs Childs (1923 – 2007) foi um biblista americano especializado no Antigo Testamento. Proponente da crítica canônica, considerava a totalidade das Escrituras como foi recebida pelas suas comunidades de fé como o objeto de análise. Assim, Childs afastou o foco da exegese do contexto, intenção autoral ou circunstância histórica da composição em benefício do foco no próprio texto.

Stanley Hauerwas

Stanley Hauerwas (nascido em 1940) é um teólogo metodista americano.

Como intelectual público, propaga discussões sobre ética. Faz críticas às contradições da democracia eleitoral, capitalismo, militarismo, fundamentalismo e teologia liberal. Teologicamente, combina contribuições das tradições metodistas, anabatisas, anglicanas e católicas. É um proponente do pacificsmo tanto com bases teológicas quanto em ética pública.

Richard Swinburne

Richard Swinburne (nascido em 1934) filósofo e apologista ortodoxo inglês.

Swinburne discute filosofia da religião e filosofia da ciência. Propõe um dualismo e um teologia articulada com uma lógica modal. Em escritos para um público mais amplo, defende a plausibilidade do teísmo diante das críticas neoateístas.

René Padilla

René Padilla (1932-2021) foi um teólogo e missiólogo batista equatoriano. Proponente e pioneiro da missão integral, foi um dos articuladores da Conferência e Movimento de Lausanne.

Em sua reflexão teológica, Padilla discutiu a missão da Igreja em aleviar a pobreza e a opressão dos marginalizados, cumprindo os mandados neotestamentários de evangelização e avanço do Reino de Deus.

Walter Brueggemann

Walter Brueggemann (nascido em 1933) é um biblista e teólogo congregacionalista americano.

Como exegeta, Brueggemann investiga o Antigo Testamento. Escreveu vários comentários acerca de diversos livros do Antigo Testamento. Neles, combina uma análise pela tradição profética hebraica e mediante a imaginação sociopolítica da Igreja.

Em sua teologia, Brueggeman enxerga na Igreja a missão de fornecer uma contra-narrativa para as forças dominantes do consumismo, militarismo e nacionalismo.

David Bentley Hart

David Bentley Hart (nascido em 1965) é um polímata, escritor, filósofo e teólogo ortodoxo americano.

Nascido em uma família anglicana, seus irmãos Addison Hodges Hart e Robert Hart também são teólogos e autores.

Hart investiga metafísica cristã, filosofia da mente, clássicos, teologia sistemática, línguas asiáticas e literatura.

Um autor prolífico, Hart discute sobre arte, beisebol, literatura, consciência, problema do mal, apocatástase, teose, cinema e política. Como biblista, fez uma tradução do Novo Testamento publicada pela Yale em 2017. Produz várias críticas ao neoateísmo, materialismo, integralismo, neotomismo e calvinismo.

Johannis Zizioulas

Johannis Zizioulas ou John Zizioulas (nascido em 1931) é um teólogo ortodoxo grego, bispo de Pérgamo.

Desenvolveu uma eclesiologia baseada na liturgia, considerando a Igreja como uma comunidade eucarística. Discute a pessoalidade, articulando esse conceito com as teologias de Irineu e de Máximo, o confessor. Para ele, a humanidade plena somente ocorre pela comunhão participativa em vida com Deus. Propõe com base na patrística uma teologia relacional a respeito de Deus, discutindo a liberdade e existência humana.

É um expositor da teologia ortodoxa grega para um público ocidental.

Choan-Seng Song

Choan-Seng Song (nascido em 1929) é um teólogo presbiteriano sino-taiwanês.

Nascido família presbiteriana em Tainan, cresceu durante domínio japonês. Depois de estudos na National Taiwan University, esteve na University of Edinburgh e no Union Theological Seminary. Foi presidente da Aliança Mundial de Igrejas Reformadas.

Iniciou sua reflexão teológica profissional pesquisando a interface da revelação divina e a religião do homem nas teologias de Karl Barth e Paul Tillich.
Elaborou críticas ao evangelho individualista, tal como é formulado e pregado pela cristandade ocidental.

Foi pioneiro e proponente da teologia contextual. Argumenta que a teologia cristã asiática deve ser construída a partir das experiências cotidianas do povo da Ásia.

Em sua missiologia defende que a missão cristã deveria ser vista na criação do mundo atual por Deus, inclusive considerando as complexidades de um mundo pluralista. A morte de Cristo representa um fim a uma relação exclusiva de Deus com um povo e a amplitude dessa comunhão para todos os povos. Portanto, não há motivos para considerar as experiências ocidentais com a fé cristã como medida para a crença vivida por outros povos.

O locus teólogico é Cristo, que não menosprezava as pessoas marginalizadas, mas que se compadecia do lamento das pessoas oprimidas. Ainda hoje, Jesus está presente para as pessoas comuns que foram esquecidas aos olhos do governo, das classes ricas e de outros grupos poderosos.