Agague

  1. Nome (ou talvez título) de reis amalequitas. Em hebraico Agag’ אגג possui derivação incerta. É interpretado como “superior”, mas seu significado mais comum seria “chama, flamejante ou violento”.
  2. Balaão predisse um rei de Israel “mais elevado do que Agague”. (Nm 24:17).
  3. Rei de Amaleque derrotado por Saul. (1Sm 15:1-7). Entretanto, Saul deixou de executar Agague e permitiu que o povo retivesse parte do despojo, provocando a rejeição divina de Saul como rei. (1Sm 15:8-29). Samuel executou Agague (1Sm 15:32, 33).

Eli

Eli, em hebraico אֵלִי “Yahweh é meu Deus” ou “exaltado”, foi juiz de Israel (1Sm 4:18) e um sacerdote em Siló, onde a Arca estava localizada durante o período dos juízes.

Ao observar Ana orando pensou que estava bêbada, mas depois declarou que sua oração seria cumprida. Samuel, o filho dessa promessa, foi mais tarde levado a Siló e posteriormente sucedeu a Eli, cujos filhos, Hofni e Fineias, eram ambos ímpios.

A ascendência de Eli não está registrada e a transição da linhagem aarônica de Eleazar para a casa de Eli constitui uma dificuldade bíblica. Seus dois filhos têm nomes egípcios, um deles idêntico ao nome do filho de Eleazar, Fineias. Em 1 Sm 2:27 menciona casa de Eli havia sido designada para o sacerdócio enquanto Israel ainda estava no Egito, mas essa passagem não aparece no Pentateuco. Uma tradição diz que Uzi (1 Cr 6:4-6), da linha de Eleazar, seria o sumo-sacerdote e segundo a tradição Samaritana após a morte de Josué, o sacerdote Eli deixou o tabernáculo do Monte Gerizim, e construiu outro em Siló (1 Sm 1: 1-3; 2: 12-17). Uma tradição posterior traça Eli a Itamar filho de Aarão (Josefo, Antiguidades Judaicas 5:361; cf. 1 Cr 24:3) enquanto outra diz que era descendente de Eleazar filho de Aarão (4 Ed 1: 2-3; cf. Êx 6:23, 25).

Após a morte de Eli e seus filhos, a aldeia de Nobe local que seus possíveis descendentes se estabeleceram. De acordo com 1 Sm 22:20-23, o único sobrevivente da chacina que Saul fez nos sacerdotes de Nobe foi Abiatar, filho de Aimeleque, filho de Aitube, um descendente de Eli que foi deposto por Salomão (1 Sm 14:3; cf. 1 Re 2:27).

Abigail

Abigail, em hebraico אביגיל. São duas mulheres desse nome que aparecem nos livros de Samuel.

  1. Abigail, esposa de Nabal. Intercedeu junto a Davi para salvar a vida de seu marido (1 Sm 25:23–31). Nabal morreu em dez dias depois. Davi então se casou com a inteligente e bela Abigail.
  2. Abigail, mãe de Amasa, o comandante-chefe do exército de Absalão (2 Sm 17:25). Chamada irmã de Zeruia, portanto, seria tia de Joabe. O Texto Massorético chama Abigail de filha de Naás. Em Crônicas (1 Cr 2: 13–16), Abigail e Zeruia são chamadas de irmãs de Davi.

BIBLIOGRAFIA

MANESCHY, M. C.; ÁLVARES, M. L. M. Abigail: protagonismo feminino em contexto patriarcal, a partir de uma personagem bíblica. Anais do V Encontro Amazônico sobre Mulheres e Relações de Gêneros, p. 82. UFBPA, Belém, 2019. http://encontroamazonico.org/anais-do-evento.html

NICOL, George G. “David, Abigail and Bathsheba, Nabal and Uriah.” Scandinavian Journal of the Old Testament : SJOT 12, no. 1 (1998): 130-45. DOI 10.1080/09018329808585131

ZION, Noam; ZUCKER, David J. “Abigail and Abel’s Wise Woman.” The Jewish Bible Quarterly 49, no. 4 (2021): 263-72.

ZUCKER, David J.; ZION, Noam. Abigail of Maon and the Wise Woman of Abel: Speaking Truth to Power. Women in Judaism[s. l.], v. 17, n. 2, p. 1–26, 2020. Disponível em: https://search-ebscohost-com.ezproxy.vid.no/login.aspx?direct=true&db=rfh&AN=ATLAiGU0210906000051&site=ehost-live. Acesso em: 22 fev. 2022.

Ana

Em hebraico Hannah, חַנָּה, em grego Ἄννα, “graciosa”, refere-se a duas mulheres nas Escrituras.

(1) A mulher que, ansiosa por ser mãe, votou ao Senhor e seu pedido foi concedido com o nascimento de Samuel. (1 Sm 1-2: 21).

Ana é uma das duas esposas de Elcana, da região de Efraim (1Sm 1:1) na fase final do período dos juízes. Mas diferente da outra esposa, Penina, que teve filhos, Ana buscou no Senhor solução para sua esterilidade.

Em uma de suas peregrinações ao santuário de Siló, sua súplica e voto são encarados pelo sacerdote Eli como embriaguez. Ao se informar melhor, o sacerdote dispensou-a em paz. O cântico de Ana é análogo ao de Maria (Lucas 1:46-55) e ambas celebram um nascimento miraculoso e louva a Deus, que faz justiça nesse mundo (1Sm 2:1-10).

(2) Uma profetisa da tribo de Asser .Juntamente com o profeta Simeão, Ana testemunhou a dedicação do menino Jesus no Templo. Regozijou na esperada redenção de Israel (Lucas 2:22-38).