Período Persa

O período persa foi a época entre 539 a.C. e 330 a.C. quando os persas dominavam em todo o Oriente Próximo. É também chamado de período aquemênida devido o nome da dinastia.

Os persas são um povo indoeuropeu e começaram seu império com a conquista do reino da Média, igualmente de origem iraniana, por Ciro II por volta de 550 a.C. Os persas conquistaram a Babilônia em 539 a.C e ganharam os territórios do antigo império Caldeu. A data convencionada para seu fim é 330 a.C com a morte de Dario III e a conquista de Alexandre da Macedônia.

Em sua maior extensão, o Império Persa se estendia da Líbia na África, do rio Danúbio na Europa até o rio Indo e Sogdiana, na Índia. O sátrapa (governador persa) de Eberi-Nari administrava a região além do Eufrantes (ou o sudoeste do rio Eufrates do ponto de vista persa), compreendendo a Síria, a Fenícia, a Transjordânia, Judá e Samaria. O governo persa criou várias instituições burocráticas, como correios permanentes. Pela política de dar autonomia aos povos conquistados, valorizavam a autogestão, o que acarretou no renovo de instituições literárias e religiosas dos judeus. A língua aramaica passou a ser adotada largamente por todo o Antigo Oriente Próximo, substituíndo o acadiano como língua literária e franca.

Nesse período, os israelitas tiveram a permissão de retornarem e reconstruírem suas instituições na terra de Judá (Yehud era o nome persa para a região), embora muitos continuaram a viver na Diáspora. Todo caso, seria o fim do exílio na Babilônia. O Segundo Templo foi construído em Jerusalém e outros pelo império persa. A guarnição judaica em Elefantina no Egito constitui uma fonte histórica importante para esse período.

Vários textos bíblicos estão situados nesse período, como Ageu, Zacarias, 1 e 2 Crônicas, Esdras, Neemias, Ester e Daniel. Adicionalmente, vários outros textos bíblicos passaram por substanciais edições nessa época.

CRONOLOGIA DO PERÍODO PERSA

538: Fim do exílio babilônico. Governo de Ciro II (550-530).
530-522: governo de Cambises II. Conquista do Egito e Jerusalém.
524-522: Zorobabel e o sumo-sacerdote Josué retornam a Jerusalém.
522: Governo de Smerdis.
533-486: Governo de Dário I.
515: Reconstrução do Templo.
485-465: Governo de Xerxes I.
480: Batalha de Salamina.
465-424: Governo de Ataxerxes I.
458: possível data do retorno de Esdras a Jerusalém (se sob Artaxerxes I).
c445-430: Neemias governador em Jerusalém (c445-430) A
450-400: Apogeu das colônias fenícias no Mediterrâneo e o papiro se populariza por todo o Mediterrâneo. Comércio tírio em Jerusalém (Ne 8:6), com um mercado escravo (Joel 3:6). Início da helenização, evidenciado pelo sarcófago do sátrapa em Sidom e pela colônia grega de Dor. Início de cunhagem de moedas em Yehud.
448-447: Revolta de Mebayzus.
424-423: Governo de Xerxes II.
424-423: Governo de Sogiano.
423-404: Governo de Dário II.
419: Dário II envia uma carta à guarnição judia de Elefantina, a mais antiga menção extrabíblica da páscoa.
404-358: Governo de Artarxerxes II.
398: possível retorno de Esdras a Jerusalém (se sob Artaxerxes II). Morte de Sócrates.
358-338: Governo de Artaxerxes III.
338-336: Governo de Artaxerxes IV.
336-330: Governo de Dário III.

BIBLIOGRAFIA

Briant, Pierre. From Cyrus to Alexander: A History of the Persian Empire. Tradução de Peter T. Daniels. Winona Lake, IN: Eisenbrauns, 2002.

Lipschits, Oded, Gary N. Knoppers, and Manfred Oeming, eds. Judah and the Judeans in the Achaemenid Period: Negotiating identity in an international context. Penn State Press, 2011.

Terra, Kenner. Judaísmo Antigo e Período Persa. Editora Recriar, 2021.