Abiail

Abiail, em hebraico אֲבִיהַיִל, é nome comum a homens e mulheres na Bíblia.

  1. Abiail, sobrinha de Davi via seu irmão Eliabe (2 Cr 11:18).
  2. Abiail, um levita e ancestral de Zuriel (Nm 3:35).
  3. Abiail, tio de Mardoqueu e pai da rainha Ester (Et 2:15; 9:29).
  4. Abiail, filho de Huri, descendente de Gade (1 Cr 5:14).
  5. Abiail, esposa de Abisur e mãe de Abã e Molide (1 Cr 2:29).

Abiatar

Abiatar filho de Aimeleque, sacerdote da aldeia de Nobe da tribo de Levi.

Abiatar foi o único sobrevivente de um massacre ordenado por Saul contra a vila sacerdotal de Nobe. Aparentemente Abiatar (e os sacerdotes de Nobe) eram vinculados ao Santuário de Siló, cuidado anteriormente por Eli e Samuel (1 Reis 2:26-27). Depois, refugiou-se com Davi, atuando como seu “capelão”. Permaneceu leal a Davi durante a sedição de Absalão, mas apoiou Adonias contra Salomão.

Alguns comentaristas veem em Abiatar como membro ou ancestral de uma linhagem rival anterior à de Zadoque, a família sacerdotal de Jerusalém do reinado salomônico até o exílio (2 Sam 8:17; 1 Samuel 22: 20-23; 2 Samuel 15: 24-37; e 1 Reis 2:26-27).

Mateus 12: 1-13 e Marcos 2: 23-28 registram Jesus citando a passagem do Antigo Testamento (1 Sam. 21: 2-7) que fala de Davi em fuga pediu pão da proposição ao sacerdote Aimeleque (Texto Massorético, LXX). Mas o relato de Marcos nomeia o sacerdote como Abiatar.

Em 1 Cr 24 Abiatar é listado como descendente de Aarão e em Juízes 18:30-31 (onde um nun indica variação no Texto Massorético) os sacerdotes de Siló traçam sua linhagem por Moisés, via Gérson.

Levi

Levi é (1) um dos doze filhos de Jacó (Gn 29:34) e ancestral da (2) tribo que se ocupa das atividades rituais.

Levi participou da matança das pessoas de Siquém (Gn 34), recebe uma “bênção” punitiva de Jacó (Gn 49: 5-7).

Os levitas foram “espalhados” dentro de Israel, em vez de alocar um pedaço de terra específico, não são contados com as outras tribos (Nm 1: 17–46), são separados para atividades sacerdotais (Nm 1: 47–53), para ajudar Aarão (Nm 3: 5–9) e permanentemente dedicados a Yahweh (Nm 3: 11–13).

Por não possuírem terras, recebem um dízimo para se sustentar enquanto trabalham como sacerdotes (Nm 18:21, 24), além de várias “cidades levíticas”, (Nm 35: 1-8) entre as tribos restantes (Js 21) .

Em Nm 16, os levitas se opõem a Moisés e Aarão. Em contraste, em Êx 32, os levitas se unem a Moisés na oposição às atividades do povo; e em Dt 33: 8-11, parte da bênção de Moisés, Levi é separado para lidar com o Urim e Tumim.

Os levitas atuavam como sacerdotes subservientes, cantores no santuário e guardiães dos recintos do templo (1 Cr 23–24).

Aarão

Em hebraico אַהֲרֹן‎ e em grego Ααρών. Significado e etimologia incertos, talvez do egípcio “leão guerreiro” ou da raíz semítica hr “montanha”.

Sacerdote do período do êxodo, irmão de Moisés e Miriam.

Nos livros de Êxodo e Números é o colaborador de Moisés nos eventos da saída do Egito e peregrinação no Sinai. Aparece como um profeta (Êx 7:1) e porta-voz (Êx 4:16; Êx 16:9; 14:26-28). Frequentemente referido como sacerdote, aperece uma vez como Aarão, o levita (Êx 4:14).

Filho de Anrão e Joquebede (Êx 6:20), da tribo de Levi (1 Cr 6:1-3). Nasceu no Egito antes de seu irmão Moisés, e alguns anos depois de sua irmã Miriam (Êx 2:1,4; 7:7). Casou com Eliseba, filha de Aminadabe, da tribo de Judá. Seus quatro filhos foram Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar (Êx 6:23). Seria o ancestral dos aarônidas, linhagem de sacerdotes que ganhou proeminência em Jerusalém após o exílio (Êx 28:1; 6:22-27; Nm 8:1-7; 1 Cr 24:1-19).

A morte de Aarão, antes de os israelitas cruzarem o rio Jordão, teria sido no Monte Hor (Nm 20:23-29; 33:38) ou em Mosserá (Dt 10:6; 32:50). De acordo com uma tradição árabe, o túmulo de Aarão está em Jabal Harun (árabe “Montanha de Aarão”), perto de Petra, na Jordânia.

A vara de Aarão serviu para sinais prodigiosos no Egito, em vários episódios da peregrinação do Sinai, na confirmação de Aarão como sacerdote depois da rebelião de Corá (Nm 17:8-10). Teria sido depositada dentro da arca, junto das tábuas da Lei e um recipiente com o maná (Nm 17:10; Hb 9:4).

A barba de Aarão é aludida em Salmos 133:1-3 em um símile e paranomásia com o orvalho do Monte Hermon para conotar a união entre irmãos.


COMO REFERENCIAR

ALVES, Leonardo Marcondes (ed.). Aarão. Círculo de Cultura Bíblica, 2021. Disponível em:  https://circulodeculturabiblica.org/2021/07/02/aarao/ Acesso em: 04 jul. 2021.