Hulda

Profetisa de Jerusalém. Esposa de Salum, guardião dos guarda-roupas reais durante o reinado de Josias (639–609 a.C.).

Consultada pelos oficiais de Josias após a descoberta de um rolo da Lei no Templo, Hulda profetizou a destruição de Jerusalém, embora Josias morreria antes. A profecia de Hulda impulsionou as reformas josiânicas (2Re 22; 2Cr 34).

Eliseu

Profeta do Reino do Norte ou Israel. Atuou entre c 850–c.800 a.C. durante os reinados de Jorão, Jeú, Jeoacaz e Jeoás (Joás).

Sucessor e discípulo de Elias. Como taumaturgo realizou os seguintes milagres:

  1. A purificação de uma fonte vital (2Re 2: 19-22);
  2. a ressurreição do único filho da sunamita (2Re 4: 18-37);
  3. o fornecimento de um antídoto para o ensopado venenoso (2Re 4: 38-41),
  4. a cura da lepra de Naamã (2Re 5:1-19 cf. Lucas 4:27);
  5. A recuperação de um machado emprestado (2Re 6:1-7);
  6. o aumento do óleo da viúva (2Re 4: 1-7);
  7. a multiplicação dos grãos (2Re 4: 42-44);
  8. a restauração da terra da sunamita (2Re 8: 1-6)
  9. a provisão de água a um exército sedento (2Re 3: 4-20);
  10. a derrota dos moabitas (2Re 3: 21-27);
  11. o anúncio dos planos dos inimigos (2Re 6: 8-12);
  12. Livrou Israel dos sírios (2Re 6: 13-7: 23);
  13. Anteviu as quedas de Ben-Hadade de Damasco (2Re 8: 7-15) e Jeú de Israel (2Rs 9: 1-13, cf. 2Rs 9: 14-36) e Joás (2Rs 13: 14-19).

2 Reis

Parte final dos reinos de Israel e Judá e suas respectivas capturas pelos assírios e pelos babilônios. O ciclo de desobediência real e consequências teve interrupções com reis piedosos, como Josias. É o último livro dos Reinados na versão grega antiga (a Septuaginta). As atividades proféticas coincidem com a aparição dos profetas literários, sobretudo Jeremias e Isaías.
Talvez seja o livro com maior atestação histórica externa que temos no Antigo Testamento.