Abisague

Abisague, em hebraico אֲבִישַׁג, de significado incerto, talvez “sábia, educada”. Foi uma mulher jovem de Suném que se tornou cuidadora de Davi nos seus últimos dias.

Estando Davi já não incapaz de de se aquecer, seus cortesões buscaram em Israel uma jovem virgem para aquecê-lo, deitando-se em seu peito. Abisague, porém não foi “conhecida” por Davi (I Re 1:1-4).

Após a morte de Davi, Adonias quis se casar com Abisague. Ele persuadiu Bate-Seba a interceder por ele diante do rei. Salomão suspeitou que fosse uma aspiração ao trono e matou Adonias (1 Re 2: 17-25).

BIBLIOGRAFIA

Bachmann, Mercedes L. García. “14 What is in a Name? Abishag the Shunammite as sokenet in 1 Kings 1: 1-4.” Out of Place: Doing Theology on the Crosscultural Brink (2016): 233.

Hess, Richard S. “David and Abishag: The Purpose of 1 Kings 1: 1–4.” Homeland and exile. Brill, 2010. 427-438.

Horvat Rosh Zayit

Horvat Rosh Zayit, em árabe Khirbet Ras Zetun (“Ruína da Ponta da Oliveira”) é um sítio arqueológico do início do período israelita situado na Floresta Segev na Baixa Galiléia.

Escavações realizadas sob a direção do arqueólogo Zvi Gal encontraram uma grande fortaleza (16 x 15,5 metros) do século 10 aC. Possui um pátio central cercado por salas, todas cercadas por imponentes fortificações sem portão. a entrada na fortaleza parece ter sido feita com a ajuda de escadas de madeira. Entre os itens encontrados dentro do complexo estavam dezenas de vasos de barro contendo sementes de trigo e jarros para armazenar vinho e azeite.

A proximidade com uma vila árabe ainda hoje chamada de Cabul (2 km do sítio), fez com que Gal identificasse-o com a Terra de Cabul de 1 Reis 9:11-13.

11 (para o que Hirão, rei de Tiro, trouxera a Salomão madeira de cedro e de faia e ouro, segundo todo o seu desejo). Então, deu o rei Salomão a Hirão vinte cidades na terra de Galileia. 12 E saiu Hirão de Tiro a ver as cidades que Salomão lhe dera, porém não foram boas aos seus olhos. 13 Pelo que disse: Que cidades são estas que me deste, irmão meu? E chamaram-nas: Terra de Cabul, até hoje.

Hulda

Profetisa de Jerusalém. Esposa de Salum, guardião dos guarda-roupas reais durante o reinado de Josias (639–609 a.C.).

Consultada pelos oficiais de Josias após a descoberta de um rolo da Lei no Templo, Hulda profetizou a destruição de Jerusalém, embora Josias morreria antes. A profecia de Hulda impulsionou as reformas josiânicas (2Re 22; 2Cr 34).

Eliseu

Profeta do Reino do Norte ou Israel. Atuou entre c 850–c.800 a.C. durante os reinados de Jorão, Jeú, Jeoacaz e Jeoás (Joás).

Sucessor e discípulo de Elias. Como taumaturgo realizou os seguintes milagres:

  1. A purificação de uma fonte vital (2Re 2: 19-22);
  2. a ressurreição do único filho da sunamita (2Re 4: 18-37);
  3. o fornecimento de um antídoto para o ensopado venenoso (2Re 4: 38-41),
  4. a cura da lepra de Naamã (2Re 5:1-19 cf. Lucas 4:27);
  5. A recuperação de um machado emprestado (2Re 6:1-7);
  6. o aumento do óleo da viúva (2Re 4: 1-7);
  7. a multiplicação dos grãos (2Re 4: 42-44);
  8. a restauração da terra da sunamita (2Re 8: 1-6)
  9. a provisão de água a um exército sedento (2Re 3: 4-20);
  10. a derrota dos moabitas (2Re 3: 21-27);
  11. o anúncio dos planos dos inimigos (2Re 6: 8-12);
  12. Livrou Israel dos sírios (2Re 6: 13-7: 23);
  13. Anteviu as quedas de Ben-Hadade de Damasco (2Re 8: 7-15) e Jeú de Israel (2Rs 9: 1-13, cf. 2Rs 9: 14-36) e Joás (2Rs 13: 14-19).

2 Reis

Parte final dos reinos de Israel e Judá e suas respectivas capturas pelos assírios e pelos babilônios. O ciclo de desobediência real e consequências teve interrupções com reis piedosos, como Josias. É o último livro dos Reinados na versão grega antiga (a Septuaginta). As atividades proféticas coincidem com a aparição dos profetas literários, sobretudo Jeremias e Isaías.
Talvez seja o livro com maior atestação histórica externa que temos no Antigo Testamento.